A Farsa do Anonymous 2


Quando você quiser que alguém faça o que você deseja,
faça-o pensar que a idéia foi dele

Criar problemas, depois oferecer soluções
Este método também é denominado "problema-reação-solução". Primeiro cria-se um problema, uma "situação" destinada a suscitar uma específica reação do público, a fim de que seja ele próprio a exigir as medidas que se deseja fazê-lo aceitar. Exemplo: deixar desenvolver-se a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o povo passe a reivindicar leis securitárias em detrimento da liberdade. Ou ainda: criar uma crise econômica para fazer como um mal necessário o recuo dos direitos sociais e desmantelamento dos serviços públicos.
Os alvos do Anonymous após o fechamento do Megaupload ultrapassaram a esfera dos direitos autorais, pois derrubaram sites que não tinham nada a ver com o problema.

Os ataques são feitos através do LOIC, onde várias pessoas acessam e enviam requisições a sites pré-estabelecidos pelo Anonymous, o resultado é DDoS, os servidores não conseguem responder a todos e é derrubado.


Agora repare, se o governo dos EUA quer censurar a internet e controlá-la, como driblar a resistência dos usuários de internet? Criando um grupo que assuma a bandeira da “liberdade” e comece a perpetrar ataques aos sites do governo em questão.

Com isto, o senado que estava de mãos atadas devido à rejeição dos internautas, não ficam mais impedidos de votar à favor de leis que controlem a rede.

Ou seja, este é o esquema. Problema: – Como aprovar leis que censurem a humanidade na internet?, Reação: – Cria-se um grupo, ainda que seja imaginário, que alegue defender os interesses dos internautas e em seguida começam a atacar sites de corporações e governos. Solução: – A aprovação de leis que proíbam estes atos, e já neste nível, podem redigir a lei que quiserem que será aprovada, pois já não haverá mais motivos para que não sejam aceitas.
Outro detalhe importante, o logo usado pelo Anonymous é o mesmo que o da ONU, exceto o desenho do meio, que é um indivíduo sem a cabeça com uma interrogação no lugar. Agora pare e pense. Essa interrogação representa a que individuo ou que grupo de indivíduos? Representaria o grupo Anonymous, ou nós? Se levarmos em conta que a ONU é uma fachada política para o exercício do poder sionista global, é de se desconfiar que Anonymous seja um grupo que trabalhe para o governo estadunidense, ou quem sabe, seja a própria CIA.



A Farsa do Anonymous 




Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: