Agente aposentado do FBI disse a um grupo de patriotas que os federais criaram 30.000 guilhotinas

E eu vi lugares. E assentaram-se sobre eles, e julgamento foi-lhes dado. E as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e pela palavra de Deus e que não tinham adorado a besta nem a sua imagem, nem receberam sua marca em suas testas nem em suas mãos. E viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. apocalipse 20:04 "Você deve instruir e trazer aos seus filhos o conhecimento de seus santos. Seu exemplo está na luz, meus filhos. 


Aqueles que você tenha configurado a idolatrar sobre a terra agora são as criações de Satanás. Você deve aceitar e seguir o exemplo dos seus santos, aqueles que receberam esta honra por sua santa Igreja. Eles, também, meu filho, não ganhar as suas coroas, sem julgamento, rejeição e, muitas vezes, o martírio . "  - Jesus, 05 junho de 19





"Pouco antes de sua morte em 2011, Ted Gunderson teve que dizer isto aos grupos de Patriotas, em toda a América em 2009. A história foi originalmente publicada no site Southern Poverty Law Center."
Uma coisa é ouvir isso de sites conservadores como Alex Jones ou Drudge Report, mas quando sites liberais como rabidly como o Democratic Underground, começam a relatar sobre isso, você sabe que a verdade está começando a surgir fora de Washington. 
Ou vazar com o propósito de prepará-lo. Hmm... De Dem Underground:
Em Pensacola, na Flórida, o agente aposentado do FBI, Ted Gunderson, disse numa reunião de “patriotas”, que o governo federal criou 1.000 campos de concentração em todo o país e está armazenando 30000 guilhotinas e meio milhão de caixões em Atlanta. 

Eles estão lá para o dia em que o governo finalmente declarar a lei marcial e se mover para agrupar ou matar os dissidentes americanos, disse ele. 

"Eles vão se manter a par de todos nós, povo", adverte Gunderson.

  

Fora de Atlanta, “um grande júri americano assim chamado”emite uma “acusação” a  Barack Obama sobre fraude e traição, pois, o painel conclui que ele não nasceu nos Estados Unidos e ocupa ilegalmente o cargo de presidente. 

E o lugar em Lexington, Massachusetts, onde os primeiros tiros da guerra revolucionária foram disparados em 1775, membros do juramento Keepers, um grupo recém-formado de policiais, militares e veteranos, "reuniram-se" em 19 de abril, para reafirmar o seu compromisso de defender a Constituição dos EUA. 

"Estamos em tempos perigosos... Provavelmente muito mais perigoso do que em 1775," disse o homem administrando o juramento. 

19 De abril não é somente o aniversário da batalha de Lexington Green, mas também da conflagração de 1993 para o Branch Davidian, composto em Waco, Texas; e os letais bombardeios, dois anos depois do edifício federal de Oklahoma City — eventos mais importantes na tradição da extrema-direita, em especial o movimento Patriot anti-governo. 

Quase 10 anos depois pareceu ter desaparecido da vida americana, existem sinais inconfundíveis de um renascimento do que na década de 1990, era comumente chamado de o movimento da milícia. 

De Idaho para New Jersey e Michigan para a Flórida, homens em cáqui e camuflagem estão de volta na floresta, se reunindo para praticar as habilidades paramilitares que eles acreditam que serão necessárias para afastar as tropas socialistas da "Nova Ordem Mundial." Fonte - Democratic Underground.





Veja mais : http://portrasmidiamundial.blogspot.com.br/2012/11/fema-ordenada-102000-vagoes-cobertos.html
http://wakeupcallnews.blogspot.com.br/2013/10/retired-fbi-agent-told-patriot-groups.html





Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: