Como parar um ataque cardíaco em 60 segundos


Tem problemas no coração? Está tendo um ataque cardíaco? Tente a pimenta-Caiena (ou pimenta-vermelha). 
Ela vai parar um ataque do coração em seu curso. A pimenta-caiena é um vasodilatador muito potente. Ela funciona mais rápido do que a Aspirina e não tem efeitos colaterais. Use uma colher de chá em água quente e beba-a em caso de dor no peito e ataque cardíaco iminente.







A doença de coração é o assassino número um em nações civilizadas.
São tantos aspectos que estão relacionados com esta situação, que parece bem combiná-los todos em um artigo, em vez de dividi-los em vários.
Parte da confusão é por que tudo é muito interligado: dieta, hipertensão arterial, aterosclerose, angina e e outras alterações degenerativas do coração.
SINTOMAS DE ATAQUES CARDÍACOS
Sinais de um ataque cardíaco podem incluir náuseas, suores, falta de ar, tonturas, desmaios, sentimento de ansiedade, dificuldade em engolir, vômito, zumbido súbito nos ouvidos, perda da voz.
No ataque cardíaco (angina), a pessoa pode sentir uma intensa pressão para o coração. Uma forte dor é produzida, que pode durar vários minutos, muitas vezes estendendo-se para o ombro, braço, pescoço ou maxilar.
Pode ser, entretanto, um pequeno ataque, produzindo relativamente pouco desconforto. Às vezes é confundido com indigestão. Às vezes não há sintomas, sendo considerado um “ataque cardíaco silencioso”.
Uma angina revela-se como dores recorrentes abaixo do esterno, e duram entre 30 a 60 segundos.
SINTOMAS DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA
Falta de ar, má coloração, cansaço, acúmulo de fluidos especialmente ao redor dos tornozelos (edema).
ATAQUE CARDÍACO
O que é um ataque cardíaco? O que leva até ele?
No sistema cardiovascular existe o coração, uma bomba de sangue. O sangue é enviado através de artérias e veias para todo o corpo.
Doença cardiovascular é o nome dado aos vários problemas que podem fazer com que o coração pare e cause a morte.
1 – A doença coronária é um tipo de doença cardiovascular. As artérias que alimentam o músculo cardíaco propriamente dito são as artérias coronárias. Mas se estas artérias tornam-se reduzidas, não será possível fornecer ao coração suficiente oxigênio e nutrientes, e o dióxido de carbono e os resíduos não serão devidamente transportados para fora.

Esta privação de oxigênio provoca uma apertada e forte dor no peito, geralmente após algum esforço ou após uma refeição. Existe uma acentuada dor debilitante no centro do peito. É chamado de angina do peito (ou simplesmente angina). A dor geralmente diminui quando a pessoa descansa. Mas é um aviso de eventos vindouros.
A angina pode ser precipitada pelo estresse, esforço, uma grande refeição, muito frio, a emoção ou outros fatores. A esperança média de vida após o primeiro aparecimento de angina de peito é de 5 a 7 anos.
2 – Se o fluxo sangüíneo através das coronárias torna-se totalmente bloqueado ou limitado o suficiente para que ele não atinja parte do coração, um ataque cardíaco ou infarto do miocárdio ocorre em seguida. Isto refere-se à formação de infartos no miocárdio (músculo cardíaco). Um ataque cardíaco não causa sempre morte. Mas, seja leve ou grave, um ataque cardíaco produz sempre alguns danos irreparáveis para o coração.
3 – O problema pode não ser no coração, mas nas artérias que o alimentam. As artérias tornaram-se endurecidas (chamado arteriosclerose) e quando o colesterol ou outras matérias passam através delas, um coágulo ocorre. As paredes endurecidas não ficam flexíveis para deixar passar a bolha. A arteriosclerose é responsável pela maioria das mortes de ataque cardíaco.
4 – Falta de oxigênio e nutrientes também podem causar o espasmo das artérias coronárias, resultando em um ataque do coração.
5 – Depois, há a pressão arterial elevada (hipertensão). Esta é uma outra forma de doença cardiovascular, que também prepara o caminho para um ataque cardíaco. Quando o coração bombeia sangue, este percorre o corpo a uma velocidade bastante rápida. As contrações musculares do coração produzem uma certa quantidade de pressão que produz esta ação de bombeamento por todo o corpo. Mas, às vezes, a pressão fica muito elevada, e isto não é culpa do coração.
Aqui estão algumas das coisas que produzem a pressão arterial elevada:
• Endurecimento das artérias (arteriosclerose) é uma causa primária. Anteriormente, a flexibilidade das paredes manteve a pressão mais baixa.
• Uma segunda principal causa da hipertensão é uma redução no tamanho (dimensão interior) das artérias. Eles ficam parecendo velhos canos de água, com coisas congeladas que se grudaram nos muros. Durante anos, alguns alimentos que foram comidos causaram este problema (carnes gordas, gorduras, gorduras saturadas, óleos vegetais hidrogenados, margarina, manteiga, etc).
• Muito sódio na dieta, por um tempo longo, é outra causa de hipertensão. A solução deveria ter sido a cortar o sódio (sal) dos alimentos.
• Outras causas incluem stress, desequilíbrio das enzimas, certas drogas (incluindo contraceptivos orais) e deficiências nutricionais.
• Existem ainda mais fatores que poderiam estar envolvidos: hipertiroidismo, doenças renais, doenças da hipófise ou supra-renal e hereditariedade.
Infelizmente, não existe nenhuma dor à medida que o endurecimento e a obstrução das artérias (que produzem hipertensão) progridem. Portanto, pessoas, geralmente, continuam vivendo e comendo da maneira que não deveriam até que, um dia qualquer, a crise vem.
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA
Até agora só falamos sobre ataque cardíaco, que é uma interrupção no fluxo sanguíneo para o coração. Mas há também a insuficiência cardíaca, onde o fluxo sanguíneo proveniente do coração é insuficiente. Trata-se, portanto, do não fornecimento de sangue suficiente para suprir as necessidades do organismo. A insuficiência cardíaca pode ser aguda (curto prazo) ou crônica.
Aqui estão alguns dos problemas que, ao longo de um período de tempo, podem ocorrer no coração:
1 – ARRITMIA. O coração não bate corretamente. Os ritmos naturais são mais irregulares. Isso é causado por problemas nas células no coração, que manda sinais elétricos para fazer as seqüências de bombeamento.
2 – PALPITAÇÕES ocorrem quando há uma clara percepção dos batimentos cardíacos, quer seja regular ou irregular.
3 – TAQUICARDIA é quando o coração bate muito rápido quando a pessoa está descansando.
4 – BRADICARDIA é quando o coração bate muito lentamente.
5 – BATIMENTOS ECTÓPICOS são batidas prematuras, produzindo longo descanso entre umas e outras batidas.
6 – FIBRILAÇÃO é um pouco diferente. Um erro elétrico ocorre, o qual envia alguns sinais de batimento ao músculo cardíaco ao invés de realizar o seu habitual bombeamento sanguíneo.
7 – DOENÇA VALVULAR é o nome de problemas na válvulas cardíacas, de modo que não abre e/ou fecha adequadamente. Às vezes isso é congênito; outras vezes, é causada por febre reumática ou endocardite (infecção do músculo cardíaco).
OUTROS PROBLEMAS CARDÍACOS
Há uma variedade de problemas que estão relacionados à problemas coronários, problemas das artérias ou problemas do músculo cardíaco. Eis algumas delas:
1 – Cardiomegalia (hipertrofia cardíaca) ocorre quando o coração já não pode funcionar normalmente, e é tão difícil de funcionar que ele amplia, e isto o enfraquece. As causas incluem uma resistência muito grande por parte do fluxo sangüíneo de passar através das artérias.
2 – A insuficiência cardíaca congestiva é uma condição crônica que resulta na acumulação de fluidos no coração e edema nos pés e tornozelos. Existe respiração laboriosa após pequenos esforços.
3 – Parada cardíaca. O coração pára de bater, fazendo com que o sangue fresco já não consiga atingir o cérebro, e a pessoa cai inconsciente. Problemas coronários, muitas vezes, são a causa.
Existem outros problemas que podem ocorrer no coração e que também podem enfraquecê-lo. Mas estes não têm suas causas necessariamente ligadas a problemas coronários ou arteriais.
1 – Cardite é uma infecção do músculo cardíaco, às vezes causada por febre reumática. Ela pode levar a danos permanentes no coração.

2 – Endocardite é uma infecção do endocárdio. Este é uma membrana como um saco que envolve o coração. As pessoas com sistemas imunológicos danificados (por HIV, etc) podem adquirir-la. Também pode ser causada por cirurgia, em substituição de válvulas cardíacas defeituosas. Ocorre dano permanente no coração.

3 – Miocardiopatia resume vários problemas cardíacos, incluindo o alargamento de uma ou mais câmaras cardíacas, rigidez muscular cardíaca, etc. Causas incluem defeitos herdados e certas doenças.
Tem problemas no coração? Está tendo um ataque cardíaco? Tente pimenta Caiena (ou pimenta vermelha). Ela vai parar um ataque do coração em seu curso. A pimenta caiena é um vasodilatador muito potente. Ela funciona mais rápido do que a aspirina e não tem efeitos colaterais. Use uma colher de chá em água quente e beba-o em caso de dor no peito e ataque cardíaco iminente.

Sim, o efeito da pimenta vermelha em seu corpo é dramático, até mesmo literalmente imediato, e não é diferente com o coração.

O principal agente da pimenta é a capsaicina.

Uma nova pesquisa publicada na revista Circulation conclui que uma pomada comum, contendo capsaicina esfregada na pele durante um ataque cardíaco poderia servir como um cardio-protetor - reduz ou mesmo previne os danos ao coração. Os investigadores encontraram uma redução incrível de 85 por cento na morte das células cardíacas quando capsaicina foi usada. Este é o efeito cardioprotetor mais poderoso já registrado, de acordo com Keith Jones, PhD, um investigador no departamento do UC da farmacologia e biofísica celular.

Fonte: Natural News
Outras fontes.. Que maravilha eh

Um remédio para o coração




A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos.

Cita-se como exemplo um caso ocorrido no Oregon, EUA, em que um homem de 90 anos, acometido por um severo ataque cardíaco, depois de ter sido considerado clinicamente morto pelos médicos, foi salvo por sua filha que colocou extrato de pimenta caiena na boca do pai moribundo ainda na ambulância a caminho do hospital. 

O paciente recobrou parcialmente a consciência e recuperou-se quase completamente ao chegar ao hospital, para espanto dos médicos. Os exames mostraram que o ataque cardíaco foi severo e, mesmo assim, o paciente estava bem. Os médicos não entenderam, mas foram obrigados a aceitar que a pimenta foi responsável pelo fato. Há também um caso em que o Dr. Richard Anderson, que colocou um pouco de pimenta caiena na boca de um homem que estava desmaiado num estacionamento, vítima de um ataque cardíaco, com o coração já parado, e o mesmo recuperou a consciência logo depois da aplicação, com o coração voltando abater. Obviamente que isso aconteceu simultaneamente aos procedimentos médicos de reanimação de emergência aplicados pelo médico no momento. 

Para casos de infarto agudo, enquanto a ajuda não vem, ou paramédicos e médicos entrem em ação, recomenda-se dar ao paciente uma colher (chá) de pimenta caiena em pó a cada quinze minutos em meio copo de água. 

O Dr. Richard Anderson é um médico norte-americano muito conhecido pelo emprego da pimenta caiena e de outras ervas no tratamento e prevenção de doenças. Ele faz menção à uma combinação entre pimenta caiena e hawtorn (espinheiro alvar ou crataegus) para fortalecer o coração e prevenir ataques cardíacos. Ele acrescenta que se uma pessoa utiliza continuamente, por longos meses essa combinação, mesmo que sofra um infarto, os danos serão bem menores. Ele conta um fato ocorrido com sua própria mãe:

“Ela vinha fazendo uso de crataegus (hawtorn berries) com pimenta caiena, quando ela sofreu um ataque cardíaco aos 79 anos”. Sua dieta não era boa e ela vinha passando por uma situação muito estressante. No hospital, foram encontradas três artérias cardíacas bloqueadas e os médicos optaram por uma cirurgia imediatamente, porém, temerosos de que ela não sobrevivesse mais do que alguns meses se não  fosse operada (quantos já não ouviram esta notícia!).

Ao mesmo tempo, os médicos estavam apreensivos sobre as possibilidades de ela não sobreviver à própria cirurgia, que era de alto risco devido à idade avançada. Mas eles a tinham nas mãos e havia muito dinheiro envolvido no  processo. 

Apesar do fato de minha mãe ter ingerido aspirinas  para a sua artrite crônica por longo tempo, ter fumado como se ela fosse a reencarnação de uma chaminé de fábrica, e ter tido um infarto, seu coração até que estava incrivelmente  forte. 

Na verdade, acharam seu coração mais forte do que a maioria das pessoas na casa dos 30 anos. A boa notícia final é que não apenas ela sobreviveu à operação, mas parou de  fumar. A operação parece ter tido sucesso, mas, para mim, a melhor coisa que os médicos fizeram foi a operação e nada mais. 

Acredito profundamente que a pimenta e o crataegus é que fizeram o melhor serviço, como os herbalistas sabem, mas poucos médicos acreditam.

Em função destes resultados, o Dr. Anderson aconselha a ter sempre um pouco de extrato de pimenta caiena para emergências. Ele próprio carrega cápsulas dessa pimenta consigo onde quer que vá, e avisa: “Você nunca sabe quando pode achar alguém tendo um ataque cardíaco ou outras emergências”. Segundo o Dr. Anderson, não é apenas para tratar situações cardíacas agudas que a pimenta caiena é indicada, mas nas seguintes situações:

Casos em que ocorre uma hemorragia nos pulmões, estômago, útero ou nariz, sugiro ministrar uma colher (chá) de extrato de pimenta caiena (ou pó de pimenta numa xícara com água) a cada 15 minutos até a crise melhorar. O sangramento deve se estancar em 30 segundos. A razão deste efeito é que, mesmo se a pressão sanguínea estiver elevada, ela pode ser corrigida pela pimenta e a ação coagulante/cicatrizante do sangue pode ser incrementada.

Para hemorragias externas, o médico aconselha também a ingerir a pimenta caiena e aplicá-la diretamente sobre o corte. Dr. Anderson relata um episódio em que, estando na praia, um homem com cólicas renais em crise aguda de cálculo, teve as dores eliminadas quase imediatamente ao ingerir pimenta caiena. 

Outro relado do mesmo médico conta que ele próprio sofreu uma forte dor de dente no meio de uma noite num final de semana. Tendo tentado vários meios para eliminar a dor, só conseguiu resultado definitivo após ingerir pimenta caiena. Mais um relato médico sobre o uso da pimenta: 

O Dr. John Christopher, clínico inglês do John Hoppkins Hospital, utilizou uma diluição de pimenta caiena para o tratamento de uma crise de asma crônica num bebê de seis semanas, permitindo que a Criança respirasse normalmente com o tratamento. 

Devido a esse resultado satisfatório, o médico usou depois a pimenta caiena para tratar alergias de vários tipos, além de varizes, cãibras e cólicas, prisão de ventre e para potencializar a energia vital. 

Ele atualmente recomenda a pimenta para a desintoxicação do organismo, para elevar a temperatura corporal, incrementar a circulação sanguínea e melhorar a capacidade visual, além de confirmar a experiência do colega, Dr. Richard Anderson com relação à capacidade da pimenta caiena de ser excepcionalmente benéfica para o coração.

Atenção

Os tratamentos aqui relatados com o uso de pimenta caiena em casos de ataques cardíacos, bem como as recomendações mencionadas, são resultados da experiência de médicos e as sugestões são feitas por eles. Nem o autor, nem a editora se responsabilizam ou recomendam estes procedimentos, a não ser sob orientação médica. 

Em casos de infartos, ataques cardíacos e situações emergenciais similares, deve-se procurar atendimento médico imediato. Somente em casos excepcionais, quando e onde é impossível o socorro médico, pode-se utilizar a pimenta caiena, conforme indicado e, mesmo assim, aplicando os procedimentos de primeiros socorros de praxe, caso quem preste atendimento os conheça. 

Existem muitas indicações e aplicações da pimenta caiena, recomendados por médicos e estudiosos do mundo inteiro. O quadro na próxima página resume as principais delas:


A experiência de um amigo enfartado

Um dos efeitos mais marcantes sobre o uso externo das pimentas de que tenho notícia aconteceu com um velho amigo, Heitor de Andrade, poeta, escritor jornalista de “mão cheia”, filósofo e meu mentor para “assuntos insólitos”. Ele mesmo descreve a sua notável experiência com a pimenta:
A primeira vez que fui parar numa UTI devia ter uns 40 anos. Tive uma dor horrível no braço esquerdo e o Hospital Presidente Médici, de Brasília, foi o meu destino. Fiquei um mês internado ali e só consegui sair porque o cardiologista me liberou para fazer um cateterismo no Hospital de Base. Não  fiz o cateterismo e me tratei com o Dr. Efraim Melara, pelo método naturista. Tomei várias lavagens, fiquei 15 dias de  jejum, passei a ser vegetariano radical, entre outras práticas de medicina natural. Vinte anos depois tive um enfarte e fui atendido no Hospital de Taguatinga, onde fiquei cerca de 30 dias, depois tive alta. Aos 63 anos tive uma ameaça de enfarte e fui fazer um cateterismo no Hospital Santa Lucia, de Brasília. Após o cateterismo o cardiologista me disse: 
Examinei o seu caso e constatei que você está numa encruzilhada. Se eu lhe operar, sua possibilidade de vida é mínima e se você não se operar, dá no mesmo. Você é quem tem que escolher o seu destino.

Tive a sorte, ainda no hospital, de receber um telefonema do Dr. SuK Yun, velho amigo, me convidando a conversar com ele sobre o caso. Quando fui visitá-lo ele me disse: - É simples o tratamento para quem tem problemas de entupimento de artérias. E só fazer cataplasma com pimenta “ardida”, que pode ser malagueta, bode ou qualquer uma que seja bem ardida. Triture a pimenta seca no liquidificador e coloque em cima de uma camada de farinha de trigo com água em forma de pizza e tenha como suporte uma atadura grande. A parte da pimenta coloque em cima do coração. Em seguida coloque uma bolsa de água bem quente em cima da massa de “pizza”. O calor da bolsa esquenta a massa de  farinha de trigo, esta passa para a pimenta. O calor é tão intenso que vai dissolver toda a gordura das artérias.

Fiz a experiência às 17h30 e de madrugada evacuei, não sei como, cerca de um litro de gordura.
A segunda recomendação era fazer diariamente movimentos intensivos com os braços e as pernas apoiadas na parede, cerca de uma hora por dia. Pratico esse exercício há cinco anos e faço o cataplasma de pimenta uma vez por semana. Nunca mais tive dor no braço esquerdo e tenho uma vida normal. Naturalmente, com o bom senso de um homem de 70 anos.

Compressas com pimenta

A medicina tradicional e popular sempre utilizou a pimenta como anti-séptico (combate os germes), analgésico, cicatrizante e anti-hemorrágico de contato, ou seja, para uso externo também. Hoje a ciência confirma esses efeitos devido ao conhecimento da ação terapêutica dos componentes desse alimento-remédio. O pófino da pimenta seca aplicado diretamente sobre feridas abertas, hemorrágicas, produz efeito quase instantâneo de cicatrização(caso não existam grandes vasos rompidos). Compressas quentes(cataplasmas) de pimenta fazem parte das técnicas de cura de diversos sistemas médicos antigos e atuais. Essas compressas são úteis no combate à dor, à inflamação e nas contusões fechadas. Uma das indicações mais eficazes e famosas é a da compressa quente ou fria de pimenta para articulações ou regiões acometidas por processo reumático, artrite ou artrose. Basta aplicar a compressa aquecida sobre a região doente e manter por cerca de meia hora, uma a duas vezes ao dia.

Modo de preparar a compressa de pimenta

Socar 250 g (ou mais) de pimentas vermelhas meio secas num pilão, de modo a formar uma massa grossa. Cozinhar 200 g de inhame com casca até amolecer. Descascar os inhames, colocá-los num liquidificador, acrescentar a pimenta e misturar apenas levemente, sem tornar tudo homogêneo. Levar ao fogo num a panela que não seja de alumínio e aquecer bem. Espalhar a massa num pano fino (tipo de fralda de criança) e dobrar de modo a formar uma compressa fechada de tamanho suficiente para cobrira área doente (se for muito grande, será necessário preparar uma quantidade maior de pimenta). Aplicar sobre a região a ser tratada, numa temperatura que não queime a pele, cobrindo-se com um plástico. Se possível, prenda a compressa e o plástico com faixas e mantenha por meia hora. É possível também dormir com uma compressa dessas, caso não incomodem. Cada compressa só serve para uma vez. Aplicar uma vez ao dia, até a melhora ou cura. Se não surgirem resultados com 10 aplicações o tratamento deve ser suspenso.

Os cuidados com a Pimenta 

Os cuidados que devemos ter com o uso da pimenta, seja como “remédio”, seja como alimento, interna ou externamente, são muito semelhantes a muitos outros itens da alimentação e da medicina natural. Nenhum alimento curativo ou recurso medicinal, erva etc., salvo em situações especiais e sob orientação profissional, devem ser usados em grande quantidade. Com apimenta não é diferente. As precauções com o uso da pimenta devem se fixar, sobretudo no efeito de seu mais importante princípio ativo, qual seja a piperina ou a capsaicina. Os estudos modernos sobre a toxicidade desses compostos mostram o seguinte:

Toxicidade dos capsaicinóides

Em meados de 1997, pesquisadores da Inglaterra utilizaram ratos, camundongos, cobaias e coelhos aplicando um método experimental para determinar o nível tóxico e letal dos capsaicinóides. Com base nos resultados, foi realizada outra pesquisa com seres humanos voluntários, utilizando-se doses menores não letais. Nos animais foi administrada capsaicina pura, intravenosa e subcutaneamente, no estômago e aplicação tópica, até a morte dos animais. A dose tóxica letal de capsaicina, medida em MG por kg do animal foi de 0,56 mg (intravenosa), até 190 mg, quando consumida, e 512 mg na aplicação tópica. A provável causa da morte em todos os casos foi parada respiratória. Em seres humanos, a dose tóxica calculada gira em torno de 13gramas de capsaicina cristalina pura. Acredita-se que doses maiores que esta poderiam ser letais. Mas para morrer, uma pessoa teria que consumir cerca de 1,8 litros de molho Tabasco de uma vez só para ficar inconsciente. Existem pesquisas sobre o perigo para seres humanos de vários produtos que contêm capsaicina como ingrediente, mas sob a forma de óleo resinas e não a pimenta em seu estado natural. 

As óleo resinas de Capsicum são ingredientes extremamente fortes, usados em molhos picantes. Para algumas pessoas, com poucos botões gustativos, estes molhos não chegam a preocupar, mas para outras ocorre uma reação muito negativa, provocando queimaduras severas e, algumas vezes, até bolhas na boca e na língua. Portanto, é necessário cuidado com molhos que contêm óleo resinas de capsaicina como ingrediente e não a pimenta natural. Apesar dos efeitos adversos que isso pode causar, molhos super fortes são capazes de matar.

Contra-indicações reais para o uso da pimenta

Gastrite

No caso da gastrite, a pimenta pode ser prejudicial, se ingerida em grande quantidade. Ela provoca o aumento das enzimas digestivas, inclusive as ácidas, o que agravaria a gastrite, mas, mesmo aqui a pimenta não é mais maléfica do que café, suco de laranja ácida, refrigerante à base de cola, chips, frituras carregadas e abacaxi ácido - alimentos que também não são aconselháveis a quem sofre de gastrite. A pimenta não causa mais acidez do que esses alimentos.

Hemorróidas

No caso de hemorroidas, também se deve evitar o uso da pimenta, mas apenas em casos muito intensos, pois pode haver mais irritação do endotélio (e não dilatação das veias). Há tratamentos externos para lavagem do reto com pimenta diluída para as crises de hemorróidas. De modo geral, por precaução, recomenda-se que indivíduos com problemas no trato gastrintestinal (gastrite, úlcera, hemorróidas e outros) evitem a ingestão, uma vez que a capsaicina em excesso funciona como um agente agressor das mucosas. Há também contra-indicações do uso da pimenta para pessoas que sofrem de refluxo gástrico, colite, psoríase, doenças de pele, mas não existem razões ou explicações científicas para isto. Mesmo para quem não sofre desses males, usada moderadamente, a pimenta é um ótimo tônico cardíaco, circulatório, anti-reumático, faz bem para quem tem artrite, artrose e melhora os sintomas gripais. A semente da pimenta lavada, sem a polpa, seca, moída, é ótima para as doenças infecciosas, tipo reumatismo, artrite e artrose. Outra ideia errônea, esta mais moderna, aponta que pessoas com dilatação da próstata (HPB) não devem ingerir pimenta porque ela pode agravar o “processo inflamatório”. Esta afirmação é duplamente falsa: primeiramente a pimenta é um anti-inflamatório e analgésico e, em segundo lugar, a hipertrofia benigna da próstata não é uma inflamação, mas um crescimento lento do tecido prostático. Existe de fato uma contra-indicação sim, na prostatite, mas, neste caso, estão contra-indicados todos os itens alimentares e bebidas capazes de irritar a mucosa da uretra na prostatite aguda, como álcool, café, chá preto, chá mate, limão, temperos fortes, por fim, pimenta, mas, mesmo assim, só em excesso. Já vimos anteriormente que a pimenta é indicada tanto no tratamento como na prevenção do câncer de próstata, graças ao seu teor de elementos antioxidantes e protetores do órgão.
Tabus

Existem muitos estigmas e tabus sobre alguns alimentos, considerados prejudiciais à saúde, colocados em questão por médicos e especialistas. Frequentemente, mesmo profissionais experientes e gabaritados fazem menção a alguns deles, sem procurar se aprofundar mais no assunto. Até há bem pouco tempo, por exemplo, o vinho era tido como prejudicial, mas hoje, foi provado que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma taça de vinho por dia faz bem ao coração, evitando problemas cardíacos. O chocolate, muito discutido por conter substâncias que viciam, também passou a ser recomendado, em quantidade controlada, já que sua ingestão produz endorfina no organismo de quem o consome, o que causa uma sensação saudável de prazer e bem-estar. Estudos recentes têm revelado também que a pimenta não é um veneno, principalmente para quem tem hemorróidas, gastrite ou hipertensão, mas um recurso benéfico quando utilizado com moderação. A nutricionista Daniella Fialho confirma esta premissa, afirmando que “o excesso no consumo de pimenta vermelha pode levar a problemas de saúde, mas seu consumo moderado até faz bem”.
Cuidados durante o manuseio

Acidentes durante o manuseio das pimentas, tanto em nível doméstico quanto industrial, são comuns, principalmente quando os olhos ou a mucosa são atingidos. Manusear a pimenta exige cuidado para evitar irritação da pele e dos olhos. O pó da pimenta-do-reino, quando muito fino, frequentemente causa acidentes por inalação, nos olhos ou mucosas da boca. As secas devem ser manuseadas com muito cuidado, pois o processo de secagem acentua bastante a pungência. É necessário cuidado ao manusear a pimenta. Ao cortar a pimenta vermelha ou ao remover as sementes e as nervuras brancas, deve-se usar luvas finas e lavar os utensílios com sabão e água após o uso. Mesmo uma pequena quantidade de capsaicinóides causa irritação grave ao entrar em contato com os olhos. As pimentas em pó também, com muita frequência, enganam cozinheiros menos experientes, que acabam por colocar pimenta demais nos alimentos que preparam. Essas pimentas não cedem todo o seu potencial de pungência logo de início, liberando os princípios ativos aos poucos. Por causa disso, é comum o cozinheiro experimentar um prato apimentado, julgando ter  chegado a um teor adequado e, quando outras pessoas ingerem o preparado, percebem estar excessivamente apimentado. 


Fontes:
http://www.curaeascensao.com.br/alimentacao_saude/segredos_curam/segredoscuram45.html
http://organichealth.co/how-to-stop-a-heart-attack-in-60-seconds/
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: