Espanhóis fazem manifestação com hologramas contra a polêmica 'lei da mordaça'



Nesta sexta-feira, centenas de cidadãos espanhóis fizeram uma manifestação na porta do Congresso, em Madri, sem precisar sair de casa. Na capital espanhola aconteceu a primeira manifestação com hologramas da história, feita para chamar a atenção contra a chamada "lei da mordaça", que aplica severas punições a protestos e manifestações públicas não autorizados.
A lei, aprovada no fim do ano passado, impede que os cidadãos se manifestem contra o governo ou façam reuniões em espaços públicos, sob pena de multas. Além disso, é preciso pedir permissão às autoridades para fazer um protesto público.


“Não à lei da mordaça”, dizia o cartaz dos manifestantes de holograma
Não à lei da mordaça”, dizia o cartaz dos manifestantes de holograma Foto: Facebook/ No Somos Delito

"Se você é uma pessoa, não pode se manifestar livremente. Só pode fazê-lo aqui se você se transformar em um holograma", diz uma mulher no vídeo produzido pela organização Hologramas para la libertad, que liderou o manifesto desta sexta-feira.
No site do movimento, as pessoas foram convidadas a participar com mensagens de texto e de voz e se "convertendo" em hologramas através de um vídeo gravado com a webcam. "Como não podemos nos manifestar como cidadãos livres, nós protestamos como hologramas livres", diziam os ativistas.



Para vc Libertá, pega aqui no meu site e postar ae n seu, como se vc tivesse feito .. .
http://yournewswire.com/first-hologram-protest-ever-held-in-spain-against-gag-law-video/
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: