Buraco negro gigante habita centro de uma galáxia anã ultracompacta

  • Cientistas podem ter encontrado a galáxia mais densa no universo próximo. Conhecida como M60-UCD1, ela está localizada próximo a uma galáxia elíptica NGC 4649, também chamada M60, cerca de 54 milhões de anos-luz da Terra
  • O M60-UCD1, descoberto pelo telescópio espacial Hubble da NASA em 2013, é uma das menores galáxias conhecidas. Mas agora a agência espacial descobriu que a galáxia anã está abrigando um "monstro" buraco negro
  • Cientistas podem ter encontrado a galáxia mais densa no universo próximo. Conhecida como M60-UCD1, ela está localizada próximo a uma galáxia elíptica NGC 4649, também chamada M60, cerca de 54 milhões de anos-luz da Terra
Um buraco negro supermaciço, com uma massa equivalente a 21 milhões de vezes a do nosso Sol, foi descoberto no centro de uma galáxia anã ultracompacta chamada M60-UCD1, revelou nesta quarta-feira (17) uma equipe internacional de astrônomos na revista Nature.

"Este é o menor objeto mais brilhante conhecido a ter um buraco negro supermaciço", declarou Anil Seth, principal autor do estudo.

Esta descoberta sugere que muitas outras galáxias anãs ultracompactas também podem conter buracos negros supermaciços, o que, portanto, seria mais comum do que se pensava anteriormente.

Os buracos negros supermaciços têm mais de um milhão de vezes a massa do nosso Sol.

O buraco negro encontrado no centro da galáxia M60-UCD1 graças ao observatório astronômico Gemini e ao telescópio espacial Hubble, tem uma massa equivalente a 21 milhões de massas solares. Ela representa 15% da massa total da galáxia que abriga (140 milhões de vezes a do Sol).
Em comparação, o buraco negro supermaciço no centro da nossa galáxia, a Via Láctea, tem uma massa cinco vezes menor, o equivalente a 4 milhões de vezes a do Sol. Ou seja, menos de 0,01% da massa total da Via Láctea, estimada em 50 bilhões de vezes a do Sol.

Buracos negros supermaciços já foram descobertos em outras galáxias anãs. "No entanto, a M60-UCD1 está claramente fora do lugar, ela é muito mais compacta e seu buraco negro mais maciço", ressalta Amy Reines, da Universidade de Michigan (EUA), em um editorial também publicado pela Nature.

Os astrônomos propõem um cenário para explicar a sua surpreendente descoberta.

Eles acreditam que a galáxia anã M60-UCD1, localizada na constelação de Virgem, a cerca de 54 milhões de anos-luz da Terra, pode ter sido uma galáxia muito mais maciça, "com talvez 10 bilhões de estrelas" e um buraco negro proporcional. Mas teria sido despojada de todas as suas estrelas excêntricas por uma galáxia ainda mais maciça, a M60.

"Isso pode ter acontecido há 10 bilhões de anos. Nós não sabemos", disse Anil Seth.

O buraco negro supermaciço que abriga a M60 é "um monstro" com uma massa equivalente a 4,5 bilhões de vezes a do Sol.
Fonte: http://worldtruth.tv/nasa-finds-monster-black-hole-in-tiny-galaxy/
Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: