O que a falência das lojas do Mc Donald’s tem a ver com fazer sabonete de glicerina vegetal?



Tenha a gentileza e a ética ao reproduzir os textos originais deste blog ou de qualquer outro, colocar claramente a fonte de onde foi retirado, no início ou na apresentação do texto com um link direto para o texto original. Poucos criam enquanto o restante todo copia. 
Essa semana, aprendemos a fazer sabonete de glicerina de base vegetal 100% biodegradáveis. E enquanto fazia os sabonetes, tive a nítida sensação que o que fazia ali era muito mais que um sabonete mas uma revolução. Assim tão silenciosamente, tranquila e em paz; eu estava no meio da maior revolução que acontece no mundo agora e sim, ela é forte e está mudando tudo. Mas ela é tranquila e serena e não faz assim muito alarde aos olhos mais desatentos. E nem precisa fazer, porque sua força já está movendo as montanhas todas.
A questão aqui é que a gente passa muito tempo falando em mudar o mundo, em transformar as coisas e pensando como seria bom se. Mas ainda damos uns bons tropeços quando temos que repensar nossos hábitos e transformá-los. A revolução de nosso tempo se faz em silencio e autoresponsabilidade. É por dentro da gente mesmo! Enquanto eu fazia os sabonetes 100% biodegradáveis, eles me diziam baixinho: “Isso muda o mundo!”. E ainda quase que sussurrando: “Essa é a revolução do seu tempo!”. Ou ainda a a minha própria e simples evolução. Quanto eu já posso repensar meus hábitos e usar somente produtos biodegradáveis? O quanto eu já posso me responsabilizar pelas coisas que consumo e aonde coloco mais energia?
Screen Shot 2015-05-28 at 14.38.19
É matemático: Quanto mais produtos biodegradáveis usamos menos poluição no planeta geramos. Quanto mais consumismo estes produtos, mais damos força para sua produção crescer e novas pessoas tomarem conhecimento da sua existência. Mas não era mesmo sobre ter um planeta mais saudável para nossos filhos que falávamos semana passada numa conversa qualquer? E o quanto já fizemos por isso? É bem pequenininho: é trocar os produtos da sua prateleira do banheiro, da lavanderia e da cozinha. Não precisa nem ter idéias mirabolantes e geniais. Basta levantar da cadeira, ir à sua despensa e simplesmente parar de consumir tais produtos. Ou ainda, só os que já dá para trocar. Pode ser um pouquinho de cada vez. No seu ritmo. E se todos fazemos isso o que acontece? Muita coisa acontece!
Somos gotas d’água! Todos queremos ser o mar inteiro e esquecemos que fazendo o papel de gotas que somos, o mar aparece, cheio de vida e alegria. A revolução de nosso tempo é pequeninha e se faz dentro de casa. Observando nossos próprios hábitos! Aonde mais eu posso me transformar para que todos possamos ter um mundo melhor? Isso também é política! A que eu escolho, agora. A questão aqui é para o que vamos dar ênfase enquanto grupo que somos. Transformemos nossos hábitos de consumo e veremos o que acontece com toda a dinâmica atual! Efeito borboleta!
Podemos sempre escolher o que compartilhamos uns com os outros. Podemos compartilhar medo, revolta e indignação e podemos compartilhar novas ações. A que caminho você vai seguir? Tudo em volta nos diz que não, nos diz que isso é uma grande “utopia”. Continuar acreditando nisso é dar razão à estagnação. A  força que a gente tem junto pode mudar tudo agora e de forma simples! Apenas comece.
Vemos muitas notícias ruins sobre o momento presente, não é mesmo? Notícias de uma poeirada que estava embaixo do tapete e agora já não dá mais não. Ninguém mais quer! A internet está aí. A comunicação explodiu. E essa é a parte boa disso tudo! É mesmo um grande despertar coletivo. Nos resta saber aonde estaremos nesta história: A gente sempre pode pensar que fazer sabonetes de glicerina dá muito trabalho porque não podemos confiar em qualquer marca e aí já começa esse sentimento de que não tem jeito mesmo. Ou a gente pode procurar a fonte segura e enviar um email para aquela mocinha lá numa cidadezinha do país que faz barra de glicerina de origem vegetal. E ainda impulsionar a produção dela! O que faremos? Continuamos reclamando?
Screen Shot 2015-05-29 at 07.06.04 copy
A história daqui é bonita. É de que não tem mais volta não… Foram aproximadamente 700 lojas do Mc Donald’s fechadas nos últimos meses. Sabe porque? Porque já tem muita gente que não quer mais comer comida de baixa qualidade. Porque já tem muita gente se empoderado da certeza de que só existe Mc Donald’s e qualquer outra coisa no mundo, se há consumidores para isso. E os consumidores somos nós! A via é de mão dupla.
Mais de 700 lojas de Mc Donald’s são aproximadamente um milhão de pessoas que simplesmente pararam de ir lá. Um milhão de pessoas enchem mais ou menos uns dez Maracanãs. Você já viu um Maracanã cheio? Agora imagina dez estádios de futebol lotados simplesmente dizendo não àquilo que já não quer mais em sua realidade. É muita gente, né? E começa com um mais um!
A gente sempre brinca aqui em casa que a abertura de consciência é um efeito avalanche. Você para de comer “big macs” e logo depois você já percebe que não quer mais ir à feira comum e começa a procurar o ciclo de feiras orgânicas da sua cidade e então, você percebe que sua pasta de dente não é nada legal do ponto de vista da natureza (da qual somos feitos !!!) e percebe então que o sabonete também não rola e quando você menos espera está encomendando as barras de glicerina vegetal lá do Sul! E o bom, muito bom mesmo, é que essa avalanche está ganhando ritmo! Muito ritmo! E avalanche forte ninguém segura não! Celebremos.
http://avidaquesonhamos.com.br/o-que-a-falencia-das-lojas-do-mc-donalds-tem-a-ver-com-fazer-sabonete-de-glicerina-vegetal/#more-218
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: