O que acontece dentro de seu estômago quando você comer macarrão instantâneo?



Tá bom, eu comi muito miojo na infância, gostava muito, e na verdade foi no miojo que começou a minha história na cozinha (quem já leu o MEU LIVROconhece os detalhes) – mas não tem jeito, eu vou ter que falar mal desse tal macarrão instantâneo por aqui…
E o culpado nessa história toda não é só o pacotinho de tempero que acompanha cada porção… Esse saquinho de tempero é bem criminoso, faz um mal danado para a saúde com tanto glutamato monossódico, corantes, conservantes e aromatizantes. Mas o macarrão (macarrão???) também entrou para a minha lista negra há algum tempo.
Olhem o que eu descobri numa das minhas leituras…
Do livro “O Que Einstein Disse a Seu Cozinheiro” 
“Os ingredientes do macarrão e do tempero são citados separadamente, de modo que você pode descobrir qual contém o quê. O sal (em geral muito) está no tempero. Você pode achar que o macarrão não contém gordura, mas, surpreendentemente, é onde a maior parte dela se esconde.
Sei que você ficou imaginando como é que eles fazem aquele bloco retangular, compacto, de cachinhos perfeitamente entremeados, e eu também, de modo que aqui vai o que descobri.
A massa é, primeiro, expelida por uma série de bicos para formar uma fita de longos fios sinuosos, lado a lado. A fita é então cortada em pedaços e dobrada sobre si mesma, depois do que é posta num molde, enquanto é frita por imersão, o que seca o macarrão de modo que o bloco mantenha seu formato para sempre. A fritura por imersão, é claro, acrescenta gordura ao macarrão e, embora possa haver uma pequena quantidade de óleo em algumas misturas do tempero, praticamente toda gordura estará no macarrão.
Algumas marcas de macarrão lamen são secadas por ar, em vez de serem fritas mas, a não ser que esteja especificado na embalagem, a única maneira de saber é a ausência de gordura na lista de ingredientes do macarrão.”


 Dr. Braden Kuo do Hospital Geral de Massachusetts pode fazer você repensar seu amor ao macarrão instantâneo (supondo que você tenha um).
Ele usou uma câmera do tamanho de pílula para ver o que acontece dentro de seu estômago e trato digestivo depois de comer macarrão Ramen. Os resultados foram surpreendentes ...



http://pat.feldman.com.br/2011/08/23/cuidado-redobrado-com-o-macarrao-instantaneo/

Cientistas revelam que o macarrão instantâneo pode causar doença cardíaca, derrame, e síndrome metabólica

Os perigos do macarrão instantâneo (o famoso Ramen) são evidentes para a maioria. No entanto, há sempre aqueles que negam os perigos de consumi-lo. Afinal de contas, é um alimento básico para os adolescentes e jovens, então, o quão ruim pode ser? Não mata, certo?
Uma nova pesquisa das Universidades de Baylor e Harvard diz que sim. Os pesquisadores descobriram que o consumo deste macarrão pode aumentar o risco de alterações metabólicas ligadas à doença cardíaca e acidente vascular cerebral das pessoas.
O macarrão instantâneo contém Butil Hidroquinona Terciária (TBHQ), que é um subproduto da indústria do petróleo e um aditivo alimentar usado com frequência para preservar os alimentos baratos e processados. Um especialista gastrointestinal conduziu um experimento com um vídeo de lapso de tempo dentro do estômago sobre o que iria acontecer depois de duas horas de digestão do macarrão instantâneo e os resultados foram surpreendentes.
No estudo mais recente, do Journal of Nutrition, os pesquisadores descobriram que mulheres na Coreia do Sul que consumiam mais macarrão instantâneo eram mais propensas a ter síndrome metabólica, independentemente de outra coisa que tivessem comido, ou o quanto elas tivessem se exercitado. Pessoas com síndrome metabólica podem ter pressão arterial alta ou níveis elevados de açúcar no sangue, e enfrentam um maior risco de doença cardíaca, derrame e DIABETES.
O bloco de macarrão seco foi originalmente criado através da fritura rápida do macarrão pré-cozido, e este ainda é o principal método utilizado nos países asiáticos, embora blocos de macarrão secos ao ar sejam os mais consumidos nos países ocidentais. Os principais ingredientes do macarrão seco são farinha de trigo, óleo de palma e sal. Os ingredientes comuns do pó aromático são o sal, o glutamato monossódico, tempero e açúcar. O típico macarrão instantâneo de copo (Cup Noodles) contêm 2.700 mg de sódio.
Apesar do macarrão instantâneo ser um alimento conveniente e delicioso, pode haver um aumento do risco para a síndrome metabólica dado ao alto teor de sódio do alimento, gordura saturada insalubre e a carga glicêmica“, disse o coautor do estudo, Hyun Shin, doutorando na Escola de Saúde Pública de Harvard em Boston.
Shin e seus colegas das Universidades de Baylor e Harvard analisaram a saúde e a DIETA de cerca de 11 mil adultos na Coreia do Sul entre idades de 19 a 64 anos. Os participantes relatavam o que comiam e os pesquisadores categorizavam a DIETA de cada participante como “centrada na alimentação saudável tradicional” ou em “fast food”, bem como quantas vezes por semana eles comiam macarrão instantâneo.
Shin explicou que o estudo incidiu sobre indivíduos na Coreia do Sul porque o país tem o maior número per capita de consumidores de macarrão instantâneo do mundo, e porque, nos últimos anos, os problemas de saúde de lá, incluindo doenças cardíacas e obesidade, têm aumentado consideravelmente.
Mas os resultados parecem ser bastante relevantes para os consumidores dos EUA também, uma vez que os Estados Unidos ficaram em sexto lugar, a nível mundial em vendas de macarrão instantâneo, de acordo com o Instant World Noodles Association, que concluiu que os Estados Unidos foram responsáveis por 4.300 milhões de unidades vendidas em 2013 (chegando apenas atrás de China, Indonésia, Japão, Vietnã e Índia – e um ponto acima da Coréia do Sul, na verdade).
As mulheres que comeram macarrão instantâneo, duas vezes por semana ou mais, demonstraram ter um risco maior de síndrome metabólica do que aquelas que comiam menos ou nenhum ramen, independentemente de seu estilo de dieta ser da categoria tradicional ou fast-food. Os pesquisadores descobriram a associação, mesmo entre as mulheres jovens que estavam mais magras e relataram fazer mais atividade física.
Quanto aos homens, Shin e seus colegas chegaram à conclusão de que as diferenças biológicas entre os sexos, como o efeito de hormônios sexuais e do metabolismo, podem explicar a falta de uma aparente associação nos homens entre o comer macarrão instantâneo e desenvolver a síndrome metabólica.
O estudo foi realizado na Coreia do Sul, por ser uma área conhecida por ter o maior grupo de consumo de ramen do mundo, onde as pessoas consumiram 3,4 bilhões de pacotes em 2010.
Mas os resultados poderiam aplicar-se a pessoas na América do Norte também, disse Lisa Young, nutricionista e professora da Universidade de Nova York, que não estava envolvida no estudo. “Nós [nos Estados Unidos] não comemos tanto, mas o macarrão instantâneo está sendo vendidos, então isso poderia se aplicar a qualquer lugar onde eles são vendidos, e eles são vendidos em quase toda parte.”
Então, o que há de tão ruim sobre o macarrão instantâneo?

O macarrão instantâneo é rico em gordura, em sal, em calorias e são processados – todos esses fatores podem contribuir para alguns dos problemas de saúde abordados pelos pesquisadores“, disse Lisa Young. “Isso não significa que cada pessoa vai reagir da mesma forma, mas o importante é ter em mente que não é um produto saudável, pois é um alimento processado.”
Em junho de 2012, o KFDA – Korea Food and Drug Administration (a agência de vigilância sanitária da Coreia) encontrou benzopireno (uma substância cancerígena) em seis marcas de macarrão feitas pela Nong Shim Company Ltd. Embora o KFDA tenha dito que quantidades eram mínimas e não prejudiciais, a Nong Shim identificou os lotes de macarrão com este problema, e fez um recolhimento do produto em outubro de 2012.
Lembrando que o alimento também contém Butil Hidroquinona Terciária (TBHQ), que pode ter um efeito de longo prazo sobre a saúde, como o enfraquecimento de órgãos e contribui para o aparecimento de cânceres e tumores.
Conforme publicado no SarangInGayo anteriormente, uma outra pesquisa feita pelo laboratório da Universidade de Harvard, realizada com 10 mil mulheres sul-coreanas, aqueles que consomem ramen mais de duas vezes por semana são mais propensos a ter pressão alta, hiperglicemia, e aumento da obesidade em 68%.









Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: