Medicamentos para osteoporose: O último esqueleto do armário da “Big Pharma” (*)

Medicamentos para os ossos como os Bisfosfonatos tem estado nas notícias recentemente, mas se você olhar além da mídia popular você verificará que as notícias não são tão boas assim. Em vez de ser um produto que realmente cura uma enfermidade ou corrige deficiências, os Bisfosfonatos são apenas um dos “esqueletos” escandalosos mais recentes do armário da grande indústria farmacêutica. Como muitos outros esqueletos no armário, eles não são mais do que drogas criadas fraudulentamente para o lucro, e que geram mais dano do que benefícios.

Além do fato de que essas drogas não fazem nada em contribuir para o crescimento de osso saudável e para a prevenção de osteoporose, elas também ostentam sombrios perigos para a saúde como Byron Richards reportou em Natural News:

“Um dos mais recentes estudos divulgados (Nov./2008)  ‘mostrou que 2,5 a 3 por cento dos pacientes que tomam Bisfosfonatos experimentam Fibrilação Atrial (FA) e 1 a 2 por cento experimentaram FA severa, inclusive com hospitalização ou morte. Os pacientes que tomam Bisfosfonatos tinham mais probabilidade de experimentar FA do que os pacientes que receberam placebos e até duas vezes mais chance de experimentar FA severa do que os pacientes que estavam recebendo placebo.’ Baseado no número estimado de mulheres americanas que tomam este tipo de droga isso significa, de modo conservador uma estimativa, de que entre 100.000 a 200.000 mulheres estão seriamente prejudicadas ou tenham morrido por causa de fibrilação atrial induzida pelos Bisfosfonatos a cada ano.”

Outro perigo originado pelas drogas é o risco aumentado de dano devido a produção de “osso de crescimento “ que é um pouco mais do que tecido ósseo inchado e frágil. Como resultado, existem relatórios crescentes de fraturas anormais e paralisia temporária ou permanente causadas pelo crescimento ósseo antinatural e fragilizado.

A tia do autor desse artigo possui mais de 80 anos de idade tinha prescrição desse pérfido medicamento, no caso, Fosamax ®. Ela começou a ter dores nas costas que continuaram ficando piores e piores ao ponto de que ela dificilmente podia sair da cama e levantar-se pela severidade da dor. Analgésicos só ofereciam mínimo alívio como alguns exercícios. Felizmente ela descontinuou o Fosamax® e o substituiu com alternativas naturais. Sua melhora foi quase imediata e hoje ela está muito bem, embora com um pouco mais de tempo de tratamentos seu dano poderia ter sido permanente, como tem sido para outros.
Osteonecrose: Bifosfonatos
Por causa dos perigos dos Bisfosfonatos, muitas pessoas acreditam atualmente que o mais popular Bisfosfonato, o Fosamax®, logo levará a Merck a um imediato grande escândalo, eclipsando até mesmo o Vioxx®com seqüelas e mortes que provavelmente vão ultrapassar as já reportadas mais de 60.000 mortes e além de sequelas não contadas que são atribuídas ao monstruoso legado do Vioxx®.

As Grandes companhias farmacêuticas realmente se importam? Essas pessoas que formaram o cartel de medicamentos IG Farben, na Alemanha, no princípio do século passado, que declarou como meta substituir todos os tratamentos e remédios naturais e homeopáticos com suas drogas antinaturais criadas em laboratório? Essas pessoas que ainda fazem qualquer coisa possível para suprimir uma competição eficiente e segura que eles não possam patentear e controlar, inclusive usando a agência que deveria ser um cão de guarda sob elas, mas que foi perversamente submetida como braço de seu exército ditatorial?
Não, a atual geração de companhias farmacêuticas estão mostrando a suas verdadeiras cores tanto quanto fizeram, o mesmo, a geração anterior desse tipo de companhia e seus gerentes – as mesmas companhias que usaram o trabalho escravo para construir coisas como o infame campo de concentração de Auschwitz, como para  construir sua própria instalação irmã, a gigante médica IG Auschwitz. Após isso eles usaram aquela primeira instalação para empreender experiências cruéis e desumanas nos mesmos operários escravos, alguns acabaram sendo enviados para a prisão nos julgamento dos Tribunais de Nuremburg, pois cometeram crimes contra humanidade (entretanto eles foram libertados após alguns anos pelo seu antigo companheiro de negócios, o então Secretário de Estado dos EUA Nelson Rockefeller).
Bifosfonatos: uveíte também é produzida por essa classe de medicamentos
As gerações subsequentes do monopólio farmacêutico ofereceram seus cumprimentos para a humanidade, também, ao distorcer e falsificar testes clínicos que “magnificam” o quão efetivos são seus medicamentos, nos garantindo que eles são seguros e ao mesmo tempo escondem seus perigos verdadeiros – riscos que elas continuam a esconder, usando seu desonesto boneco de proteção: a agência (o FDA) para retirar todas as proibições que os mantém no mercado, tanto o quanto for possível, enquanto se amontoam as mortes esequelas.
E então você tem as campanhas de vacinação de medo e payoffs (lucros), a criação de condições para  bilhões em propaganda para artigos como as drogas estatinas (medicamentos para controlar o colesterol) e toda a sorte de substâncias utilizadas para distúrbios de comportamento em  nossas crianças, além de estudos equivocados contra vitaminas, minerais e outros produtos naturais para a saúde. Quando temos lucro x  humanidade e preservação da saúde, os lucros vencem facilmente.
Se o modelo do caso Vioxx® é um indicador, Fosamax® e as outras drogas para osteoporose serão mantidos no mercado enquanto os bilhões em lucros se amontoarem até que finalmente a contabilidade de óbitos e sofrimento gerem um clamor público grande demais para ser ignorado ou varrido debaixo do tapete. Então você provavelmente vai ver outra longa e desgastante batalha similar à do Vioxx® e decisões que ainda favorecem bilhões em lucros para as companhias farmacêuticas.
Por que eles deveriam eles se importar – são apenas vidas humanas e sofrimento, e está amplamente percebido que tais preocupações não são o norte dos negócios em que essas grandes companhias estão envolvidas.
Sobre o autor:
Tony Isaacs é um pesquisador e defensor de saúde natural e autor de livros e artigos sobre esse tema que incluem “Cancer’s Natural Enemy” (O inimigo natural do câncer) e “Collected Remedies” (Medicamentos selecionados) além de canções e histórias bem humoradas. Mr. Isaacs também tem um site na internet: The Best Years in Life (www.tbyil.com) para todos os que querem evitar medicamentos e modos convencionais de manejar enfermidades, e que desejam um modo natural de terem felicidade, saúde, e longevidade.
____________
(*) Big Pharma – apelido dado a Grande Indústria Farmacêutica – como um todo por alguns críticos, especialmente os redatores do site Natural News.
Outros efeitos negativos do Alendronato e similares: necrose óssea, especialmente de ossos da mandíbula (“Dead Jaw”); inflamação gastresofágica; dano ocular; reações dermatológicas; hipocalcemia; problemas hepáticos.
Nomes comerciais: No Brasil temos vários nomes disponíveis no mercado: Fosamax®, Endronax®, Osteoral®, Bonalen®, Actonel® e outros.
NotaO Dr. Joseph Mercola, sublinha que o efeito principal dos bisfosfonatos é similar, porém mais forte que o dos estrogênios – os hormônios femininos que inibem a ação de osteoclastos, células que reabsorvem tecido ósseo – que precisa ser removido- já os bisfosfonatos, praticamente eliminam tais células. Como resultado o osso até pode parecer mais denso ao RX, mas não se trata de um um osso saudável e menos sujeito às fraturas, pelo contrário.
Dessa maneira, o tratamento correto para esse tipo de problema seria estimular a formação de osso novo, através de estímulos aos osteoblastos. Essas células são naturalmente estimuladas pelo hormônio progesterona. Além disso, uma série de outros aspectos devem ser levantados no metabolismo ósseo que deveriam ajustados para uma boa saúde esquelética. Desde a questão dos insumos minerais (cálcio e magnésio) quanto a existência de substâncias químicas prejudiciais como o flúor, por exemplo. A vitamina D, obtida pelo contato com o sol é fundamental. Atividade física regular também.
ObservaçãoO laboratório Merck enfrentou uma série de ações judiciais, nos EUA, contra o seu antiinflamatório VIOXX, substância do grupo genericamente conhecido com Anti COX-2 (como Celebra® e Arcóxia®), por estar envolvida em número incerto de morte por dano cardíaco. Recentemente se descobriu que um dos principais “pesquisadores” que publicavam estudos a favor desse tipo de remédio, fraudou testes clínicos que forneciam dados utilizados em pelo menos 21 artigos de revisão entre 1996-2008. Trata-se de um pesquisador do centro Médico Baystate de Massachusetts, Dr. Scott Reuben. Na mesma linha de fraude em pesquisa e informação, se descobriu que um importante executivo de uma empresa farmacêutica americana, fraudou a existência de um câncer em si mesmo para validar um produto de sua companhia (é o caso de Howward Richman, empresa Biopure, produto: Hemopure) a ser liberado pelo FDA, e angariar dinheiro de seus investidores. (naturalnews, 12/03/2009). Cabe lembrar que outro anti-inflamatório não esteroide muito utilizado também está associado a problemas cardíacos: Ibuprofeno, o conhecido Alivium®, que aumenta o risco de ataque cardíaco entre 1,3 a 2,1 vez! (esse medicamento também está sendo implicado em problemas renais).
Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: