Viver para sempre: Cientistas dizem que em breve vamos poder prolongar a vida "bem além de 120 '

Vale do Silício

‘Em 2045 o ser humano será imortal’, diz cientista

Pesquisador afirma que o progresso tecnológico permitirá acabar com o envelhecimento, classificado por ele como uma 'doença curável'


article image
José Luis Cordeiro, professor e assessor da Singularity Universirty, instituição acadêmica do Vale do Silício, EUA, criada em 2009 pela Nasa e financiada pelo Google, afirmou que no ano de 2045 a espécie humana será imortal. A declaração foi dada durante o encontro “Inteligência artificial e o futuro da espécie humana”, da Universidad Internacional Menéndez Pelayo, localizada em Santander, Espanha.
Segundo Cordeiro, nem a AIDS, nem o câncer e nem a fome poderão acabar com a espécie humana, porque “o envelhecimento é uma doença curável”.

Para fazer tais afirmações, Cordeiro se baseou em uma corrente cada vez mais difundida – e que fez eco na revistaTime -, chamada “singularidade tecnológica”. Essa corrente ideológica aponta que o progresso tecnológico e inteligência artificial são as ferramentas que acabarão com a “idade humana” e originarão a “idade pós-humana”.
Com tais declarações, Cordeiro reafirma o que havia dito o inventor americano Ray Kurzweil, diretor de engenharia da Google e fundador da Singularity University. Kurzweil previu várias vezes que, em um determinado momento na história da humanidade, as máquinas seriam dotadas de consciência.
Segundo Kurzweil, em 2029, teremos dispositivos do tamanho de um computador, capazes de superar o nível de inteligência de um ser humano e, em 2045, algum software será capaz de assumir a inteligência combinada de todos os homens, bem como a complexidade de seus pensamento. Nesse ponto, um software poderá exceder a sofisticação do cérebro humano e provocar “a morte das mortes”.
“Entre 2029 e 2045, o número de transistores nos computadores superará o de neurônios em nosso cérebro. Esse será o início da singularidade tecnológica, quando a inteligência artificial alcançará a inteligência humana” afirma Cordeiro.
José Luis Cordeiro prevê ainda que nos próximos 10 anos, qualquer homem poderá ter acesso ao sequenciamento de seu genoma, por US$ 10. Dessa forma, prevenirá doenças como o câncer e o Alzheimer e “moldará” seus próprios descendentes evitando tais condições.
A veracidade de suas alegações dependerá do progresso da ciência e da tecnologia. Um exemplo dado pelo pesquisador de que “a vida nasceu para viver e não para morrer” vem de uma das realizações da Methuselah Foundation, instituição que, na última década, conseguiu prolongar a vida saudável dos ratos até cinco anos.
“O cérebro é a estrutura mais complexa do universo e também o único órgão que ainda não foi criado artificialmente. Entretanto, os cientistas estão começando a estudá-lo sistematicamente. Teremos uma explosão de inteligência artificial”, prevê Cordeiro.
A imortalidade existe na natureza. Não tem nada de utopia. Pena que nós não desfrutemos dessa boquinha. Ao longo do tempo, nosso corpo se deteriora. Perdemos os melanócitos que dão cor aos cabelos, o colágeno da pele, a cartilagem dos ossos - ficamos grisalhos, enrugados, com dores nas juntas. Velhos. Numa sucessão de baixas, células e órgãos vão deixando de cumprir funções cruciais para o corpo. Até que tudo isso culmina numa pane geral. E nós morremos.

Para impedir que o corpo definhe desse jeito, o homem já tentou de tudo: de mumificação, no Egito antigo, a injeções feitas a partir de testículos de animais, na França do século 19. Só que agora estamos mais próximos do que nunca do sonho da imortalidade. Por causa dessas espécies highlanders, cientistas do mundo todo acreditam que nós também podemos ser imortais. E já têm propostas para isso, divididas em duas linhas: remédios - feitos para aprimorar nossa defesa contra a morte - e inovações tecnológicas que nos tornarão quase robôs. Sabe aquela expressão "de certo na vida, só a morte"? Parece que ela vai perder o sentido em breve. "Em 50 anos não vai mais existir definição para expectativa de vida. Teremos um controle tão completo do envelhecimento que as pessoas viverão indefinidamente", diz Aubrey de Grey, geneticista da Universidade de Cambridge. 

http://super.abril.com.br/ciencia/voce-pode-ser-imortal-535997.shtml

Ernestine Shepherd
Ernestine Shepherd Bodybuilder, 78, atribui suas aparência jovem à dieta e exercício. Mas os cientistas agora dizem que em breve será capaz de fazer muito mais com as drogas.

Google Ventures e a busca pela imortalidade


Bill Maris tem 425,000 mil dólares para investir este ano, e a liberdade de investir no entanto ele quer. Ele está à procura de empresas que irá retardar o envelhecimento, a doença de reverter, e prolongar a vida.

"Há um grande número de bilionários em Silicon Valley, mas, no final, todos nós estamos indo para o mesmo lugar", diz Maris. "Se tivesse a opção de fazer um monte de dinheiro ou encontrar uma maneira de fazer as pessoas vivem mais tempo, o que você escolheria?"
***

http://olhosolitario.blogspot.com.br/2015/03/google-ventures-e-busca-pela.html

Peter Thiel, o bilionário co-fundador do PayPal, e os planos para viver até os 120. 
Thiel espera ficar por aqui em para desfrutar de uma fortuna estimada pela Forbes em 2,2 bilhões dólar em 2080, . O capitalista e investidor do Facebook, de 47 anos, diz que ele "certamente espera" viver a 120 e já está tomando medidas para ajudá-lo a chegar lá.
Ele segue uma dieta e limita seu açúcar, não comer é, em sua opinião, " uma regra nutricional. Ele também toma hormônio de crescimento humano diário, que "ajuda a manter a massa muscular, então é menos provável que obtenha lesões ósseas, artrite.
"Quanto à preocupação de que HGH aumenta o risco de câncer, "Estou esperançoso de que não vá existir câncer na próxima década", diz Thiel.
Em comparação com alguns outros bilionários da tecnologia, ele não parece particularmente ambicioso. 
Dmitry Itskov, o "padrinho" da Internet da Rússia, diz que seu objetivo é viver para 10.000; Larry Ellison, co-fundador da Oracle, encontra a noção de aceitar a mortalidade "incompreensível"  O russo Dmitry Itskov acredita que a imortalidade é uma questão de tempo, dinheiro e, principalmente, tecnologia. Atualmente com 32 anos, o empresário já acumula muitas riquezas na área de comunicação em seu país natal com a companhia New Media Stars – o suficiente para dar o pontapé inicial em um projeto ambicioso que pode mudar radicalmente a espécie humana.
Itskov é o homem por trás do Projeto 2045, uma iniciativa fundada em 2011 que, basicamente, pretende transportar a consciência humana para avatares robóticos, permitindo que qualquer pessoa viva para sempre, já que a mente estará segura em um “recipiente” artificial – algo que, por mais bizarro e utópico que possa parecer, faz bastante sentido.
Estes titãs da tecnologia não estão sendo ridículos, ou mesmo vaidosos; suas missões são baseadas na ciência emergente que poderá mudar fundamentalmente o que sabemos sobre a vida e sobre a morte. 
É difícil de acreditar, no entanto, uma vez que a busca humana pela imortalidade é antiga e cheia de falhas catastróficas. Por volta de 200 aC, o primeiro imperador da China, Qin Shi Huang, acidentalmente se matou tentando viver para sempre;ele se envenenou ao beber uma poção, que havia sido preparada pelos cientistas e médicos da corte. A poção, que ironicamente deveria tornar o imperador imortal, continha altas taxas de mercúrio.
Séculos mais tarde, a busca pela vida eterna não era mais seguro: Em 1492, o Papa Inocêncio VIII morreu depois de transfusões de sangue de três meninos saudáveis ​​cuja juventude, os médicos acreditava que poderia absorver.
Um pouco mais perto para os tempos modernos, em 1868, América, Kentucky político Leonard Jones (político americano)  foi um excêntrico que alegou ser imortal . De acordo com Jones, qualquer um poderia alcançar a imortalidade através de um regime de oração e jejum e poderia dar seus segredos para o público enganar a morte. Mais tarde no mesmo ano, Jones morreu de pneumonia.
Mas precedente histórico não tenha dissuadido alguns dos maiores nomes do Vale do Silício. Thiel, por exemplo, doou US $ 3,5 milhões para a  Fundação Matusalém .
Aubrey de Grey, co-fundador de Matusalém,"Estratégias para Reparar Envelhecimento Insignificante" (SENS) diz que a principal iniciativa de pesquisa da organização sem fins lucrativos, é uma estratégia de reparação de tecidos destinada a rejuvenescer o corpo humano e, assim, permitir uma "vida útil indefinida". Para este fim, ele identificou sete tipos de "dano" celular e molecular causados por processos metabólicos essenciais; SENS é um painel de propostas de terapias para reparar esse dano. ... A ideia é que o corpo humano, sendo uma máquina, tem uma estrutura que determina todos os aspectos da sua função "o conjunto de efeitos colaterais acumulado do metabolismo que, eventualmente, nos mata,"7 e para as abordagens mais pró-ativas e urgentes para estender a vida humana saudável. Relativamente a esta questão, De Grey é um torcedor do prolongamento da vida.

Fonte: 
http://www.newsweek.com/2015/03/13/silicon-valley-trying-make-humans-immortal-and-finding-some-success-311402.html
http://www.wucnews.com/2015/03/silicon-valley-is-trying-to-make-humans.html
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: