MÃES QUE SOFREM COM EXPOSIÇÕES A SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS TÓXICAS, TEM MAIS PROBABILIDADES EM TER FILHOS AUTISTAS OU COM TDAH

crianças

O mundo moderno é um campo minado quimicamente, e novo estudo da Universidade do Texas Health Science Center em San Antonio, descobriu que a exposição crônica a poluentes químicos pode ter um efeito desastroso sobre a saúde das crianças. 

Mães que são particularmente sensíveis à exposição a produtos químicos, ao que parece, têm um risco significativamente maior do que outras mães de crianças com transtorno do autismo ou déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). 

Estudo do centro de ciências da saúde em San Antonio,  identificou que pessoas com essa intolerância, quando expostas 

a certos odores, apresentam atividade do cérebro diferente de quem 

não tem o problema


Eles compararam a saúde das crianças dessas mães umas as outras, usando uma ferramenta de avaliação do paciente qualitativo, conhecida como QEESI, ou Exposição Ambiental rápida e Sensibilidade Inventory, uma pesquisa com 50 perguntas usadas pelos médicos em todo o mundo para avaliar e diagnosticar a intolerância química. Com base em inventário de 282 mães de crianças com ASD (transtorno do espectro do autismo), 258 mães de crianças com TDAH, e 154 mães controle, cujos filhos não tinham distúrbios de desenvolvimento, a equipe descobriu que as mães quimicamente intolerantes  tiveram a maior probabilidade de ter filhos com transtornos de desenvolvimento. Mães quimicamente sensíveis eram três vezes mais propensas a ter uma criança com autismo, de fato, e 2,3 vezes mais probabilidade de ter uma criança com TDAH.

Escape do motor, pesticidas em alimentos, vacinas, e mais: um holocausto química contra as nossas crianças

De acordo com especialistas,intolerância química afeta entre 10 e 30 por cento das pessoas que vivem atualmente no USA. 

A sensibilidade química múltipla (SQM), também chamada de intolerância química, doença ambiental e hipersensibilidade química, é um tipo raro de alergia que manifesta-se gerando sintomas como irritação nos olhos, coriza, dificuldade respiratória e dor de cabeça, quando o indivíduo fica exposto a diversas substâncias químicas comuns do dia a dia como uma roupa nova, sensibilidade ao cheiro do shampoo ou de outros produtos cosméticos, poluição dos carros, álcool e etc. Sendo a sua principal causa a poluição interna dos edifícios.
Esta sensibilidade é agravada devido a presença constante de substâncias químicas presentes no ar vindas das tintas das paredes, móveis, produtos de limpeza utilizados e máquinas de escritórios, por exemplo, que ao entrar em contato com a luz e a umidade favorecem a proliferação dos microorganismos. Assim o sistema imune do indivíduo está sempre "alerta" e sempre que ele é exposto a outro tipo de substância química gera uma reação alérgica crônica, que muitas vezes impede o trabalho.
As vacinas são outras fontes de exposição a substâncias químicas, embora não mencionadas no estudo, apresentam crianças em risco ainda maior.

"Estamos mais preocupados com a vulnerabilidade das crianças com TDAH e autismo foram às exposições ambientais", afirmou Lynne P. Heilbrun, MPH, um coordenador de pesquisa do autismo no Departamento do Centro de Ciências da UT Saúde de Medicina de Família e Comunidade, e autor principal do estudo sobre os resultados.A poluição química faz com que crianças com TDAH ASD sofram mais do que outras crianças.

Muitas destas fontes de exposição a produtos químicos também são responsável por causar TDAH e TEA em primeiro lugar. Mães sensíveis expostas a esses produtos químicos durante a gravidez parecem transferir essa toxicidade para seus filhos, que são agredidas por vacinas químicas como parte de um quadro maior de violência contra seres humanos.

O resultado é que crianças quimicamente prejudicadas acabam sofrendo mais do que as outras crianças, como ilustrado pelo estudo.


Aqui está o que mais os pesquisadores, a publicação de suas descobertas em The Journal of the American Board of Family Medicine, descobriram relativos a crianças com problemas de desenvolvimento nascido para quimicamente sensíveis mães:


  • As crianças com TDAH foram 1,7 vezes mais propensos do que as crianças controle (ASD eram 4,9 vezes mais provável) por ter tido múltiplas infecções que exigem o uso prolongado de antibióticos.
  • As crianças com TDAH tinham duas vezes mais probabilidade do que crianças do grupo controle (ASD foram 1,6 vezes mais probabilidades) para ter alergias.
  • As crianças com TDAH tinham duas vezes mais provável (ASD eram 3,5 vezes mais prováveis) ter tido náuseas, dores de cabeça, tonturas ou dificuldade para respirar quando exposto ao fumo, removedor de unha polonês, escape do motor, a gasolina, purificadores de ar ou agentes de limpeza do que as crianças controle.
  • As crianças com TDAH tinham duas vezes mais probabilidade do que os controles (ASD foram 4,8 vezes mais probabilidades) para ter preferências alimentares fortes ou ânsias de queijo, batatas fritas, pão, massas, arroz, açúcar, sal e chocolate.
Fontes: 

uthscsa.edu 

jabfm.org
http://www.naturalnews.com/050838_chemicals_vaccines_autism.html

http://www.naturalnews.com/050838_chemicals_vaccines_autism.html#ixzz3jJ4uZ8hn
Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: