Militares dos EUA estão testando cão robótico do Google



O cachorro-robô Spot, revelado em fevereiro pela Boston Dynamics, subsidiária do Google (em breve uma subsidiária da Alphabet), já é naturalmente assustador. Agora ele está sendo testado por militares do Estados Unidos, colocando mais medo ainda ao pensar nos possíveis usos que o robô quadrúpede de cerca de 70 quilos pode ter.
Spot foi levado para a base dos marines na cidade de Quantico, no estado da Virginia, por uma equipe da DARPA, a Agência de Pesquisas Avançadas de Projetos de Defesa, que já testou outros robôs da Boston Dynamics no passado.
Segundo o roboticista da DARPA Ben Swilling, que acompanhou os testes, “existem muitas possibilidades para as quais nós podemos usar um robô como o Spot, como patrulhamento ou transporte de carga”.
Os militares americanos não são estranhos a testes com robôs, inclusive já tendo testado outros robôs da Boston Dynamics, como o BigDog. No entanto, o Spot é mais leve, mais silencioso, e pode se locomover em terrenos em que nem mesmo veículos autônomos são capazes de circular.
Para controlar o cão-robô, é necessário um laptop com um controle similar aos de videogames, permitindo que ele ande por morros, florestas e ambientes urbanos. O controlador pode ficar a até 500 metros de distância, permitindo que o Spot seja usado para reconhecimento, buscando ameaças, enquanto as pessoas estão protegidas. No passado, os marines utilizariam cães treinados para a tarefa.

Conheça o robô Spot:





Via Ars Technica
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: