Hershey, Mars, Nestlé processados por compra em fornecedores de Cacau que usam crianças em trabalho escravos.

 O escritório de advocacia dos direitos dos consumidores conhecido como Hagens Berman entrou com uma ação contra a Hershey, Mars, Nestlé e na segunda-feira, em nome dos três residentes da Califórnia. O cerne da ação judicial sugere que essas empresas não só com conhecimento de causa se abasteciam de cacau de fazendas na África Ocidental que utilizavam trabalho infantil (e, em muitos casos, o trabalho escravo infantil), mas que eles quebraram a lei do estado da Califórnia, ao não divulgar esse facto na embalagem dos seus produtos.


Eles estão processando essencialmente por propaganda enganosa, e afirmam que eles nunca teriam comprado produtos dessas empresas se soubessem como eles foram feitas.

As três empresas, uma vez respondeu ao processo, e têm previsivelmente alegaram que não é culpada de qualquer delito.

Em um e-mail para Refinery29, um porta-voz da Hershey disse que a empresa está "comprometida com o abastecimento ético e responsável de todos os nossos ingredientes do produto e não têm tolerância para práticas ilegais, incluindo crianças usadas como trabalho forçado na agricultura do cacau." Ele citou a empresa de papel nos esforços de toda a indústria para coibir tais práticas de trabalho, dizendo que o "esforço combinado e concentrado de toda a indústria e outras partes interessadas é um desenvolvimento muito encorajador e positivo. "

Nestlé disse ao The Daily Beast que as alegações são "sem mérito". "O trabalho infantil não tem lugar em nossa cadeia de fornecimento de cacau", disse a Nestlé em comunicado. "Estamos tomando medidas para eliminar progressivamente pela apreciação de casos concretos e atacar as causas profundas."

Mars disse ao The Daily Beast que a empresa "ações generalizada de vista que o trabalho infantil eo tráfico é abominável e enraizada em questões econômicas, políticas e sociais complexas" e que Marte é "empenhada em ser parte da solução."

Claro, essas alegações não são novidade.
A fonte desagradável de 70% do fornecimento mundial de cacau tem sido amplamente conhecida por mais de uma década.
O que é novo é o facto de que o problema pode ser crescente.
Apesar das reivindicações desses funcionários PR, o processo alega que o número de crianças que trabalham em condições terríveis na Costa do Marfim (transporte de cargas pesadas, utilizando ferramentas perigosas, sendo expostos a pesticidas) cresceu 39% desde 2008. Estimativas mais conservadoras colocar o aumento em 18%.

E estes não são necessariamente as crianças que trabalham para seus pais pobres sobre pequenas explorações agrícolas, fazendo o que podem para ajudar suas famílias fazer face às despesas, no entanto, que é provavelmente o caso para muitos deles.

A ação cita especificamente os casos de crianças que são contrabandeadas para a África Ocidental, vendidos aos fazendeiros, e forçadas a trabalhar sem remuneração sob a ameaça de violência física.

Enquanto empresas como Hershey manifestaram o seu desejo de acabar com a terceirização de cacau proveniente de plantações de trabalho escravo em 2020, não prenda sua respiração. 

Os preços do cacau são esperados a subir no futuro próximo, com a maioria das estimativas sugerindo que pode haver grave escassez de pelo o ano de 2020. 

Cacau já tem já dobraram de preço nos últimos dez anos.

Com números como esse, de alguma forma, eu duvido que essas empresas de confecção vão querer fazer alguma coisa sobre o problema da escravidão na África Ocidental. 

parou de comprar seus chocolates, o consumidor médio. Infelizmente, a fonte horripilante do mundo do chocolate, provavelmente não vai a lugar nenhum tão cedo.

Joshua Krause é um repórter, escritor e pesquisador The Daily Sheeple. Ele nasceu e cresceu na área da baía e é um escritor freelance e autor. 

http://www.activistpost.com/2015/10/hershey-mars-nestle-sued-for-sourcing-cocoa-from-suppliers-that-use-child-slaves.html
http://www.thedailysheeple.com/hershey-sued-for-sourcing-cocoa-from-suppliers-that-use-child-slaves_102015#
Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: