Pais que são contra a vacinação enfrentam pena de prisão depois de Uganda aprovar nova lei

A nova lei vem em meio a um crescente movimento 'anti-vaxxer'. 

Uganda aprovou uma nova lei este mês voltada para os pais que se recusam a vacinar os seus filhos.
"Anti-vaxxers" podem pegar até seis meses de prisão no país do centro Africano de Uganda após afirmações do ministro da Saúde, e outros que um "culto" religioso crescente está impedindo os pais de que seus filhos sejam "imunizados".
A nova lei foi assinada pelo presidente Yoweri Museveni em 10 de março, mas não foi anunciado até esta semana. 
A Lei de Imunização exigiria aos pais para que seus filhos fossem vacinados contra doenças como o sarampo, a poliomielite, a tuberculose e meningite - ou enfrentam tempo de prisão.
As crianças também seriam negadas a educação, uma vez que exigem que eles possuam um cartão de vacinação para frequentarem a escola.

'anti-vaxxer' organização conhecida como o 666 tem escondido as crianças em favelas para impedi-los de receberem vacinas, o ministro da Saúde Sarah Achieng Opendi disse à BBC. 
"Tudo começou em poucos distritos em Uganda oriental, mas agora ela se espalhou e estamos vendo em todo o país",disse ela.
666 membros foram presos em 2014 após desencorajarem seguidores de participar de um registo nacional de identidade. A mídia local afirma que o 666 não estão dispostos a participarem de nada a ver com números e também proíbem visitarem hospitais para receberem tratamento médico.

Havia cerca de 10.000 membros da 666 em Uganda em 2014. Anteriormente nenhuma lei estava em vigor que permitia a sua prisão se for encontrado para estar a impedindo que as crianças sejam vacinadas.
Opendi afirma que 3 por cento das crianças do país não tiveram as vacinas necessárias, incluindo contra a poliomielite e meningite.


Na Califórnia, a taxa de "recusa vacina" dobrou 2007-2013 para 3,06 por cento, com 5,43 por cento isentos em escolas particulares em comparação com 2,88 por cento em público, de acordo com o American Journal of Public Health.
Receios ligam as vacinas ao autismo e outros efeitos colaterais, incluindo um ressurgimento da doença que supostamente trata de paralisia.
Eles citam pacientes na Índia, que tinha sido dado anteriormente a vacinação contra a poliomielite.

Na semana passada, Robert De Niro defendeu a exibição de um documentário anti-vaxxer no Festival de Cinema Tribeca.


"Vaxxed: From Cover-Up para Catastrophe" pelo ativista Andrew Wakefield é baseado em sua própria pesquisa, que foi publicada em um jornal médico britânico, em 1998, antes de ser recolhido em 2010. 
O filme explora a ligação entre vacinação e autismo.
De Niro defendeu sua decisão de exibir o filme no festival que ele ajudou a criar em um comunicado. 
Ele pediu pessoalmente que o filme fosse exibido como ele tem uma criança autista e quer "todas as questões relacionadas com as causas do autismo a ser discutido de forma aberta e examinada", mas acrescentou que ele não estava pessoalmente endossado ao filme.
Os pais de Ezequiel Stephan estão atualmente sendo julgado no Canadá depois que ele morreu de meningite. 

Fonte: https://www.rt.com/news/337306-anti-vaccination-parents-jail/ 
Share on Google Plus

Sobre: Thais de Deus

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: