Os EUA vão retirar do mercado a maioria dos sabonetes anti-bacterianos!

A maioria de nós usa sabonetes com propriedades anti bacterianas pois cremos que são benéficos para o bem estar da nossa saúde. Mas apesar dessa publicidade e de acreditarmos nisso pode nem ser tão verdade como pensamos.

Todos esses produtos que usamos podem fazer mais mal que bem à nossa saúde e os EUA foram os primeiros a alertar para este problema e estão a retirar muitos deles do mercado.

A Food and Drug Administration (FDA), órgão que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos determinou que, no espaço de um ano, não sejam mais vendidos sabonetes para banho e corpo que contenham algum dos 19 ingredientes vetados pelo órgão, como os agentes químicos triclosan e triclocarban, presentes na maioria destes sabonetes.

Em 2015, o estado de Minnesota, nos EUA, proibiu a venda de sabonetes antibacterianos que levam um componente chamado ‘triclosan’.


Os proibidos

A lista completa de substâncias proibidas pela FDA (que a agência acredita serem usadas em mais de 700 marcas de sabonetes bactericidas):

  • Cloflucarban

  • Fluorosalana

  • Hexaclorofeno

  • Hexilresorcinol

  • Complexo de Iodo (Éter-sulfato de amônio e o monolaurato de sorbitano de polioxietileno)

  • Éster fosfato de ariloxialquila de polietilenoglicol

  • Complexo iodo etanol, nonil fenoxi-polioxietileno

  • Iodopovidona (5% a 10% de concentração)

  • Complexo de iodo e cloreto de undecoylium

  • Cloreto de metilbenzetônio

  • Fenol

  • Amyltricresols secundária

  • Oxicloroseno de sódio

  • Tribromsalan

  • Triclocarban

  • Triclosan

  • Corante triplo (verde brilhante, violeta de genciana, hemissulfato de proflavina)

“Os consumidores podem acreditar que eles são mais eficientes para evitar a proliferação de germes, mas não temos evidência científica disso”, disse Janel Woodcock, directora do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos do FDA. Algumas marcas já começaram a retirar os ingredientes de seus produtos, dizem as autoridades americanas.

Por sua vez, o Instituto Americano da Limpeza, que representa os interesses dos fabricantes, garantiu que o “FDAjá tem em mãos informações que provam a eficácia e a segurança dos sabonetes anti-bacterianos”.

FDA destacou que a proibição se refere a produtos usados e enxaguados com água e não atinge o gel anticéptico, lenços umedecidos e outros produtos anti-bacterianos usados por serviços de saúde.

Em 2013, autoridades dos Estados Unidos pediram que fabricantes demonstrassem com pesquisas, inclusive com estudos clínicos, que estes produtos são mais eficazes do que os sabonetes comuns no combate à propagação de doenças e redução de infecções.



As empresas não provaram isso, diz o FDA, ou o que lhe foi entregue foi considerado insuficiente para garantir a segurança e a eficácia dos produtos.

Outros perigos

O pedido também se baseou em pesquisas que sugeriam que a exposição prolongada aos ingredientes em questão poderia levar a riscos à saúde, como o aumento da resistência bacteriana ou alterações hormonais. (TMS)

Agora, os fabricantes terão um ano para retirar os sabonetes anti-bacterianos do mercado ou mudar a sua fórmula.

As autoridades de saúde reforçam que lavar-se com água e sabão continua a ser uma das medidas mais importantes para evitar doenças e a proliferação de germes.

Caso não haja água e sabão disponível e se opte por gel anticéptico, o FDA recomenda que seja um produto à base de álcool, com uma concentração de pelo menos 60%.


Fonte: Altamente.org


Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: