Como o desastre de FUKUSHIMA foi de mal a pior, à amaldiçoado



A ideia por detrás da sinergia é que quando duas coisas ruins acontecem, um terceiro evento, ainda pior do que os dois eventos anteriores combinados, segue. Ele tem os tons tênues de Lei de Murphy, que diz que qualquer coisa que pode dar errado, vai dar errado. Essas máximas abstratas transformadas em realidades concretas na Usina de Fukushima, onde as condições têm aumentado de mal, a extremamente fora de controle.

A sinergia foi desencadeada por uma reação em cadeia que ocorreu em março de 2011. Em primeiro lugar, um terremoto de magnitude 9,0 abalou o fundo do mar ao largo da costa do Japão. Em seguida, um enorme tsunami brotado das entranhas do oceano. O tsunami, em seguida, rolou para a usina Fukushima Daiichi , causando o pior acidente nuclear do mundo desde Chernobyl, a catástrofe de 1986. Se a sinergia poderia ser resumida a uma fórmula, seria: um terremoto, além de um tsunami, é igual a uma catástrofe nuclear em paridade com Chernobyl.

Lei de Murphy se apossou de Fukushima desde que o tsunami dizimou a usina em 2011. Os esforços para limpar o local têm sido lento e tedioso com novos problemas subindo em cada esquina, quase todos os dias.

Radiação de Fukushima atinge o fundo do poço

A narrativa Fukushima é uma espiral por um caminho de ruína completo e absoluto. Já se passaram mais de quatro anos após o desastre, e a lei de Murphy se recusa a ser quebrada. Por exemplo, o Japan Times relatou que "níveis extremamente elevados de radiação e pela incapacidade de compreender os detalhes sobre combustível nuclear derretido torna impossível para o utilitário traçar o rumo do seu desmantelamento previsto dos reatores da central."

Em outras palavras, a Tokyo Electric Power Company (TEPCO), a empresa responsável pela usina, não tem ideia de como limpar, e muito menos conter o desastre. Não se trata apenas de que não há fim à vista; funcionários nem sequer sabem quais são os meios necessários para atingir um fim.

Alguém poderia pensar que os níveis de radiação teria diminuído após todos estes anos, mas, infelizmente, não têm. TEPCO apenas detectou níveis de radiação tão alto quanto 9,4 Sieverts por hora fora reator número 1. De acordo com uma citação direta a partir do comunicado de imprensa, "As pessoas expostas à dose máxima de radiação para cerca de 45 minutos irão morrer."

9.4 Sieverts de radiação tem uma tremenda quantidade de potência. Níveis superiores a uma Sievert são raros na vida cotidiana, tanto assim que os funcionários recorrem a millisieverts (mSv = 1/1000) ou microsieverts (USV = um milionésimo de Sievert), quando medição de radiação. Oito Sieverts é suficiente para produzir vômitos, dores de cabeça, febre e uma taxa de sobrevivência de zero por cento.

Além disso, os relatórios dizem que TEPCO tinha inicialmente planejado para examinar o interior do vaso de contenção de volta em agosto, com o uso de um robô controlado remotamente. No entanto, altos níveis de radiação frustrados esses esforços. Mesmo aço frio não poderia suportar a radiação proveniente da usina.

Além disso, de acordo com Counter Punch, o problema está não apenas confinada ao reator No. 1; mesmo reator número 2 exibe altos níveis de radiação:

"Infelizmente, não só é a radiação escaldante fora do reactor N. ° 1, mas uma ligação de tubo no reactor No. 2 também mostra os níveis extremamente elevados de radiação. Reactor No. 2 é onde o núcleo radioativo derretido quente (derme) ainda não foi localizado ".

Uma ferida que não vai parar de sangrar

A catástrofe de Fukushima não está vinculada à usina, mas está se espalhando por todo o globo. Partículas radioativas continuam a enterrar a Terra, e a radiação vazando do desastre chegou a se espalhar pelo Oceano Pacífico. É uma ferida aberta na superfície do planeta que não vai parar de sangrar.

Alguns chamam o acidente de Fukushima de um desastre. Muitos, no entanto, incluindo aqueles que têm visto e experimentado seus efeitos em primeira mão, chamar-lhe uma maldição. Com a forma como as coisas estão indo, se não encontrar uma maneira de resolver o problema, a situação só poderia ir de mal a pior.



Share on Google Plus

Sobre: Thais de Deus

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: