Sionistas mudam a história para gerarem ódio entre Israelenses e Palestinos


Esta foto acima é do soldado do Exército Israelense David Ovadia que publicou em seu Instagram no último 30 de julho uma foto de si com um fuzil de precisão Barrett calibre .50 (utilizado por atiradores de elite). Na publicação, dirigida à palestina residente em Israel Sherrii ElKaderi, Ovadia afirma: Eu matei 13 crianças hoje e você é a próxima. Muçulmanas de merda. Vão para o inferno, vadias.

Segundo as autoridades judaicas, por causa da repercussão, tentaram abafar o caso; justificando que era uma mentira de suaparte e que este jovem não manuseia este tipo de armamento.

Eu mesmo; Valter (Aquárius 2036) quando tive acesso á esta foto, bem antes, compartilhei em meu facebook e tempos depois foi retirada pelos administradores com o aviso “material que não nos ajuda em promover um mundo melhor”, bom; todos sabem a ligação do FACE com a CIA e possivelmente aqui, uma simples prova da cumplicidade americana, pois diariamente outras fotos bem piores e vídeo são publicadas !

Por Engano farão Guerras

“E …e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão..”. (Daniel 7:25)

Será que um povo pode em si se orgulhar que sua soberania foi erigida por mentiras e manipulações, para deixar ainda mais complexo a pergunta; com a ajuda de minha consciência enganada, á favorecer a injustiça e o assassinato de milhões de civis inocentes ?

Vamos entender agora a realidade em Israel que os SIONISTAS não podem esconder !

Mentiras que Geram Violências


Uma professora judia de literatura Nurit Peled-Elhanan; denunciou a público uma das manipulações mais perversas dos sionistas, afirmando que nos livros de histórias dados nas escolas de Israel, não se fala dos palestinos e quando os judeus voltaram á suas terras antes da criação do estado de Israel em 1948, a região era toda desabitada, tendo assim os palestinos como um povo inimigo, arredio e invasor

Essa cultura da mentira tem sido muito útil á política expansionista dos SIONISTA a tempos, pois tem fomentado o ódio, raiva e crimes do povo simples aos seus vizinhos palestinos entre as novas gerações; que não conhecem outra história.

Os Frutos dos Sionistas

De acordo com um relatório de Janeiro de 2011, publicado no jornal israelense Yediot Aharonot, professores judeus em Israel indicam que o racismo anti-árabe entre alunos judeus atingiu níveis alarmantes, a ponto de proporem a matança dos palestinos

Os professores informaram a existência grafites nas paredes das escolas e até mesmo escritos nas folhas das provas escolares, onde a juventude expressa seu racismo violento: "morte aos árabes".

De acordo com o relatório, um estudante de uma escola em Tel Aviv disse a seu professor em sala de aula que seu sonho era tornar-se um soldado para ser capaz de exterminar todos os árabes; os outros alunos da classe aplaudiram, em seu apoio. Em grande parte´, esta reação da juventude é, também consequência direta do Projeto Educacional racista das escolas israelenses, onde as crianças judias são regularmente doutrinadas.


Camisetas com frases como "uma bala dois mortos", referindo-se as mulheres palestinas grávidas, ou como matar crianças palestinas, são tomadas com orgulho pelos militares.


Recentemente podemos ver que isso não é uma mera suposição, como vemos nesta foto acima; a mãe morreu e a criança teve o mesmo fim, fruto de um tiro certeiro de tais atiradores de elites israelenses, que não é o único caso, más um de muitos que ocorrem lá.

Sionismo, Amor ao Ódio

Não pensem que as cenas abaixo são fato isolado e acontecem somente neste ataque de Israel ao gueto de Gaza. São rotina entre a população judaida de Israel. Quando acontecem ataques de Israel a estreita, sem sistema algum de defesa edensamente povoada Faixa de Gaza, os judeus costumam fazer piqueniques instalados confortavelmente em cadeiras e poltronas consumindo refrigerantes, café, pipoca, charutos, lanches e petiscos para ver Gaza queimar e explodir ante o ataque de uma das forças militares mais letais e violentas do planeta com apoio dos EUA, Inglaterra entre outros.

Os israelenses se reuniram em uma colina fora da cidade de Sderot na segunda-feira para assistir ao bombardeamento de Gaza. Crédito Andrew Burton / Getty Images "A ideia é colocar os Palestinos em uma dieta, mas não matá-los de fome." Dov Weissglass, assessor de Ariel Sharon.
"Esmague Gaza e mande-a para a Idade Média! Eles [os palestinos] precisam morrer!" Eli Yishai, Ministro do Interior judeu.



Israelenses assistem ao bombardeio à Gaza no sábado à noite a partir de um sofá arrastado para uma colina com vista para o território palestino. Crédito Menahem Kahana / Agence France-Presse - Getty Images "Um milhão de árabes não valem a unha de um judeu".

Rabino Yaacov Perrin em http://almanaque.folha.uol.com.br/florestan15.htm

"Talvez nós deveríamos, secretamente, adicionar algum meio de controle de natalidade na água de Gaza" Leon De Winter, novelista judeu.



Israelenses sentados numa colina fora de Sderot assistem ao aumento da coluna de fumaça sobre Gaza na quarta-feira depois de um ataque aéreo. Crédito Lior Mizrahi / Getty Images


Tradução do bilhere 'selfies' das duas judias: "Odiar os árabes não é racismo, é uma questão de valores!"(*)


Jovens judeus assistindo ao bombardeio da Faixa de Gaza. Eles se animam com as mortes de pessoas inocentes.

"Não há acordo voluntário possível entre nós e os árabes [palestinos] (...) Os sionistas devem proceder [a colonização da palestina], independente da de uma muralha de ferro a qual ela não consiga quebrar (...) Enquanto os árabes tiverem uma última esperança, eles nunca deixarão [de resistir-nos]."

Zeev Jabotinksy, citação do judeu fundador do grupo terrorista Irgun, nos anos 1920, quando os judeus eram ainda uma minoria na Palestina, a despeito das ondas emigratórias constantes.


 Um judeu de 57 anos assiste tranquilamente aos ataques de Israel ao Gueto de Varsóvia, digo, Gaza sentado na cadeira numa colina que foi transformada em algo como a primeira fila de um teatro

O lugar oferece uma visão privilegiada das explosões das bombas judias na densamente povoada Faixa de Gaza. Entre pipocas, risos e conversas, aplaudem quando caem os mísseis e bombas em Gaza. (AP photo)



"Eles têm que morrer e as suas casas devem ser demolidas para que não sejam mais nenhum terrorista", disse a parlamentar judia Ayelet Shaked, acrescentando: "Eles são todos nossos inimigos e seu sangue deve estar em nossas mãos. Isso vale também para as mães dos terroristas mortos".
Veja o nível do latrocida parlamento israelense, chamando suas vítimas palestinas de "cobrinhas":

"Atrás de cada terrorista há dezenas de homens e mulheres, sem os quais ele não poderia se envolver em terrorismo. Eles são todos combatentes inimigos, e seu sangue será sobre todas as suas cabeças. Agora isso também inclui as mães dos mártires, que os envia para inferno com flores e beijos. Elas devem seguir os seus filhos, nada seria mais justo. Elas devem ir, tal como as casas físicas em que eles levantadas as cobras. Caso contrário, mais pequenas cobras serão criadas lá. "Citado pela parlamentar Shaked em sua página no Facebook no dia 07.07.14.

Inocência Violada

Os alunos de escola de Herzliya Hayovel, participantes de um campeonato de tiros, em um base militar, cobriam seus objetivos com o kuffiyeh Palestina, (diário israelense Haaretz 3 de abril de 2011), etc., estes são alguns exemplos das práticas comuns e rotineiras em Israel.


Outro exemplo desta triste realidade infundada nos corações desta nova geração está nesta fotos acima; onde crianças israelenses escrevem mensagens em bombas direcionadas ás crianças palestinas.

SIONISMO; sistema político e neo-religioso que domina o país a tempos tem se utilizados de distorções de fatos e da própria história em si, para iludir o mundo e o próprio povo semita. Isso em união com a mídia sensacionalista dos países capitalista que distorcem fatos somente para levar ao público sua agenda mentirosa.

Conclusão Aquárius 2036:

Não adianta ostentar o nome de cristão e espiritualista como muitos fazem e fingirem que isso não existe, ou que não é problema nosso ou que faz parte do grau evolutivo deste, passarem por isso com tamanha indiferença como milhares tem feito.

Lembremos do que disse Jesus: “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;” (Mateus 5:9).

O que ocorre lá é de pura responsabilidade dos países imperialistas por suas ganancias capitalistas, hoje minha visão sobre o presidente OBAMA se fez tão negativa; que somente sendo tão frio e calculista para apoiar tais atitude de certos dirigentes tão íntimos, como ele é com Benjamin Netanyahu, o 1º Ministro de Israel.

Não cabe a mim julgar tais gerações modernas em suas resoluções marais, ainda mais quando a base destas ideias foram distorcidas por seus lideres políticos.
Más fica aqui uma lição para todos nós de como a coletividade pode ser enganada pelos sistemas de informações e de como somos ainda tão submissos á tais manobras.

Via: http://www.aquarius2036.com.br/2015/07/sionistas-mudam-historia-para-gerar-odio-israelenses-palestinos.html

Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho II

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: