COMO SERÁ A VIDA NO FUTURO: AS PESSOAS TERÃO QUE ACEITAR AS MUDANÇAS – O CONTROLE DA POPULAÇÃO.

É triste. As pessoas comuns não sabem ainda, mas serão obrigadas a aceitar as mudanças mesmo resistindo a princípio, por não conhecer alternativas de sobreviver sem o sistema.


Na matéria anterior mostramos as mudanças previamente planejadas no passado de modo a afetar drasticamente a vida das pessoas no Século 21. Há muito tempo foram pensadas por organizações secretas, que utilizando a política têm transformado o mundo conforme a sua vontade. Esta matéria é continuidade das metas mostradas na matéria Desvendando o plano de opressão sobre as pessoas no século 21: As revelações da Nova Ordem dos Bárbaros, das gravações do Dr. Lawrence Dunegan e relacionadas com uma conferência que ele participou em 20 de março de 1969 ministrada pelo Dr. Richard Day em Pittsburg, nos Estados Unidos a um auditório de 80 médicos presentes.

“AS PESSOAS VÃO TER QUE SE ACOSTUMAR COM AS MUDANÇAS…”

Em algum ponto de suas palavras introdutórias o Dr. Richard Day insistiu que nada fosse gravado e que de nada se tomasse notas, o qual é algo excepcional dito por um professor como expetativa ante uma audiencia. 

Parte de seus comentários inferia que se poderiam apresentar repercussões negativas contra ele se se conhecesse amplamente o que ele estava a ponto de nos dizer, se se chegasse a saber amplamente que em efeito ele havia acendido o pavio, por assim dizer. Quando eu escutei isso pela primeira a vez, pensei que se tratava de uma pessoa se gabando, de alguém destacando sua própria importancia. Mas a medida que as revelações foram se desenvolvendo, comecei a entender por que ele tinha preocupações sobre não revelar amplamente o que ele disse, mesmo sendo de fato o auditório ao qual ele se dirigia relativamente público. Independentemente disso, ele pediu o favor para que de nada se tomasse nota e que não se usasse gravadores: insinuando que existia perigo pessoal para ele se estas revelações se publicassem amplamente. 

De novo, à medida em que as revelações foram acontecendo e vi as coisas escandalosas que se nos estavam dizendo, pois nessa época eram realmente escandalosas, me dediquei a tratar de lembrar da maior parte das coisas que ele estava dizendo e durante as semanas, meses e anos depois disso ligar os pontos ao captar com eventos simples a minha volta, até para ajudar minha memória no futuro, caso quissesse fazer o que estou fazendo neste momento – gravações. Também, tratar de manter uma perspetiva do que estaria se desenvolvendo, sim, de fato, as coisas seguiram o padrão previsto – E tem sido!

Neste ponto, desde que não esqueça de mencioná-lo mais tarde, só acrescentarei algumas afirmações que foram feitas ao longo da apresentação de vez em quando, em geral com relação com toda a apresentação. Uma dessas afirmações tinha a ver com a mudança. “As pessoas vão ter que se acostumar com a idéia de mudança de tal maneira que tenham expetativa pela mudança; já nada será permanente”. Isso muitas vezes surgiu no contexto de uma sociedade em que as pessoas pareciam não ter raízes ou âncoras, mas deveriam estar esperando passivamente a mudança simplesmente porque isso é tudo o que vão conhecer. Isto contrasta com as gerações de pessoas até o momento que você espera que certas coisas aconteçam e permaneçam estáveis como pontos de referência para a vida. Então a mudança se apresenta, e a mudança se antecipa e deve ser esperada e aceita, sem dúvida. Outro comentário que foi feito de vez em quando durante esta apresentação foi: “As pessoas confiam demais, as pessoas não fazem as perguntas certas.” Às vezes, ser excessivamente confiante anda de mãos dadas com ser burro demais. Mas às vezes não, pois quando ele dizia “As pessoas confiam demais, as pessoas não fazem as perguntas certas” era em um tom de lamento, como se ele se sentisse desconfortável com aquilo que fazia parte e esperasse as pessoas desafiá-lo e que não estivessem tão confiantes.
Em algum ponto de suas palavras introdutórias ele insistiu que não utilizassem gravadoras e que de nada se tomasse nota, o que é algo excepcional a ser dito de um professor como expetativa ante uma auditório. “As pessoas vão ter que se acostumar com a idéia de mudança de tal maneira que tenham expetativa pela mudança; já nada será permanente”. Uma sociedade em que as pessoas pareçam não ter raízes nem âncoras, mas apo contrário estejam esperando passivamente a mudança simplesmente porque isso é tudo o que vão conhecer.

Os objetivos reais e declarados
Outro comentário que foi repetido ao longo da conferência foi um relacionado com as mudanças das leis e dos costumes… mudanças específicas; ele disse: “Tudo tem dois propósitos. Um deles é o propósito ostensivo que o torna aceitável para as pessoas e o segundo é o propósito real que torna cada vez mais possível levar adiante os objetivos da criação do novo sistema”. Frequentemente ele dizia: “Simplesmente não há outro caminho, simplemente não há outros caminhos!”. Isto soava como uma espécie de desculpa, particularmente quando ele estava concluindo a descrição de algumas mudanças particularmente ofensivas. Por exemplo, a promoção da dependência tóxica, tema que trataremos em breve.

Controle da população
Ele era muito ativo com grupos de controle da população, com o movimento do controle da população pois o controle da população era realmente o ponto de entrada a questões específicas na sequência da introdução.

Ele disse que a população estava crescendo rápido demais. Que o número de pessoas vivendo atualmente no planeta tinha que limitar-se ou que acabaríamos sem ter suficiente espaço para todos. Que cresceríamos mais rápido que o nosso fornecimento de alimentos e que contaminaríamos o mundo de maneira exagerada com nossos resíduos.
Esterilização obrigatória

Em dezembro de 2012, cientistas do Instituto de Veille Sanitaire, St Maurice, França, descobriram que a contagem de espermatozóides em machos humanos em todo o mundo estava em declínio acentuado. A pesquisa foi realizada durante um período de dezessete anos mostrou que a contagem de espermatozóides tinha reduzido em um terço, e a previsão do cientista era que a redução na contagem de espermatozóides foi definida para continuar. Razões para o declínio da contagem de espermatozóides masculinos não encontramos.


A fluoração da água tem sido motivo de preocupação. As alegações científicas de que o flúor na água potável pode causar infertilidade têm sido provadas em vários estudos. No entanto, a “Organização Mundial da Saúde” considera que a proporção de 1,5 mg / L de fluoreto na água potável é uma dose segura com efeitos adversos limitados. Pode ser perturbador que haja algum efeito quando consideramos os milhões de pessoas que estão expostas à água fluorada – com cada pessoa sendo diferente em idade, saúde e assim por diante.
A razão que os governos dão para colocar fluoreto no abastecimento de água é reduzir a cárie dentária. Nos EUA, onde cerca de 65% da população é doseada por fluoração do suprimento de água, a pior deterioração dentária ocorre em áreas pobres que foram fluoretadas por décadas. Isto poderia ser porque para que o flúor seja o mais eficaz acredita-se que deve ser aplicado diretamente aos dentes, e não através do abastecimento de água. Quando a fluoração foi interrompida em áreas da Finlândia, Alemanha Oriental, Cuba e Canadá, a cárie dentária aparentemente diminuiu.
Fluoreto é um produto químico tóxico, e tem sido mostrado para causar danos genéticos em baixas doses, e tem sido associada à morte súbita, Alzheimer e eczema. Fluoreto também faz com que o colágeno se desintegre, que é uma parte essencial da estrutura dos ossos, músculos e pele. Flouride também tem sido associada a Glándulas tiroides hipoativas, e uma vez prescrito para deprimir a atividade da tireóide.
Muitos países (especialmente na Europa) proibiram o uso de flúor no abastecimento de água devido aos riscos para a saúde envolvidos.
Mosaic (um grande produtor de fertilizantes), é um grande fornecedor de produtos de fluoração para o mercado mundial de fluoração de água. A Mosaic foi formada pela Cargill Inc. e pela IMC Global Inc. (IMC Global Inc. é propriedade da Cargill Inc.). Fonte: https://drrichardday.wordpress.com/2014/01/09/fluorination/
Permissão para ter bebês
As pessoas não teriam autorização para ter bebês simplemente porque queriam tê-los ou porque não foram o suficientemente cuidadosas. A maior parte das famílias estaria limitada a ter dois. Algumas pessoas teriam permissão para ter somente um, mas que a pessoa ou pessoas que se sobressaíssem seriam selecionadas e a estas se permitiriam ter três. Mas a maior parte das pessoas teria a autorização para ter somente dois bebês. Isso era devido ao calculo de que a taxa zero de crescimento da população é de 2,1 por família. Então algo assim como cada décima família poderia ter autorização de ter três bebês. Para mim, até este ponto da conferência, o termo “controle da população” primordialmente tinha a conotação de limitar o número de bebês que nasceriam. Mas o comentário de que às pessoas seria “permitido”, o que veio em seguida, deixou claro que era muito mais do que o controle da natalidade. Ele estava falando de controle de todos os campos da população mundial; um significado mais amplo; um significado mais amplo para esse termo do que eu havia entendido até antes da conferencia. À medida que me escutar e refletir sobre as coisas que você escutar, começará a reconhecer a maneira como um aspecto se encaixa com outros aspectos em termos de controlar os campos humanos.
“As pessoas confiam demais, as pessoas não fazem as perguntas certas”. Então confiar demais era o mesmo que ser burro demais. “Tudo tem dois propósitos. Um deles é o propósito ostensivo que o torna aceitável para as pessoas e o segundo é o propósito real que torna cada vez mais possível levar adiante os objetivos da criação do novo sistema”. Frequentemente ele dizia que a população estava crescendo rápido demais. Que o número de pessoas vivendo atualmente no planeta tinha que limitar-se ou que acabaríamos sem ter suficiente espaço para todos. As pessoas não iam ter autorização para ter bebês simplemente porque queriam tê-los ou porque não foram o suficientemente cuidadosas. A maior parte das famílias ia estar limitada a ter dois.
Bebês de laboratório
“… sexo e reprodução seriam separados. Você teria sexo sem reprodução e, em seguida, a tecnologia faria a reprodução sem sexo. Isso seria feito no laboratório”, foi o próximo tema na apresentação do Dr. Day ao grupo.
O Dr. Dunegan não conseguia se lembrar dos detalhes desta parte da apresentação do Dr. Day, afirmando que não podia distinguir o que Day disse na época e o que ele aprendeu posteriormente.
O primeiro experimento científico bem-sucedido na fertilidade foi conduzido em 1884 pelo médico William Pancoast da Filadélfia. Pancoast tratou a infertilidade de um casal injetando esperma de um estudante de medicina na mulher enquanto ela era anestesiada, e ela deu à luz um menino nove meses depois. Este foi o primeiro incidente registrado de inseminação artificial, embora não apareça em uma revista médica, o Medical World Journal, até 1909.
Várias outras experiências ocorreram no início dos anos 1900 com sucesso limitado.
Em 1944, uma técnica de laboratório, Miriam Menkin, tornou-se a primeira pessoa a fertilizar um ovo humano fora do corpo humano.
Depois de trabalhar em fertilização externa de ovos por seis anos, seu primeiro sucesso veio em fevereiro de 1944. Ela passou a repetir esse sucesso três vezes entre fevereiro e abril de 1944.
Embora Menkin tenha sido bem sucedida na fertilização de ovos fora do corpo, sua experimentação nunca chegou ao estágio de implantá-los de volta para o doador.
O primeiro bebê de tubo de ensaio do mundo foi Louise Brown que nasceu em 1978.
Através da pesquisa do Professor Sir Robert Edwards com seu colega Patrick Steptoe, o tratamento de FIV tornou-se disponível para milhões em todo o mundo, e tem (até à data) resultado em mais de cinco milhões de bebês nascidos.

Em 2013, o primeiro verdadeiro test-tube baby tornou-se uma possibilidade real quando os cientistas da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon extraíram células-tronco de embriões humanos criados em laboratório.

Embora os embriões humanos tenham sido criados antes, eles não tinham células estaminais saudáveis ​​extraídas deles. Com a criação de células-tronco saudáveis, os cientistas deram um passo significativo na criação de humanos clonados.

Os desenvolvimentos causaram preocupação entre os grupos da campanha que questionaram a necessidade para a pesquisa quando as maneiras mais simples de criar células-tronco para a pesquisa biológica já existiam.

A equipe da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon também foi criticada por outros cientistas no campo por publicar os dados de pesquisa controversos alegando que a equipe era irresponsável, e outros afirmando que deveria haver uma proibição internacional da clonagem humana. Fonte: https://drrichardday.wordpress.com/2014/01/09/laboratory-babies/
Acompanhe a sequência do documentário, “Como será a vida no futuro: A Agenda Oculta da Nova Ordem Mundial.” Uma série oferecida por Dinâmica Global e publicada todos os domingos.

Publicado em dinamicaglobal.wordpress.com

Share on Google Plus

Sobre: Adrien Marinho

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: