História do nome LAMIA do avião Chapecoense

Lamia era uma bela rainha da Líbia por quem Zeus estava interessado. Ela tinha sangue divino pois era filha de Poseidon, deus das águas. Acabaram como amantes e tiveram vários filhos. O problema é que Hera, sua digníssima esposa, enciumada, resolveu acabar com a festa.




Primeiro matou todos os filhos de Lamia. Depois a transformou num monstro meio humano , meio serpente. Não satisfeita, arrancou suas pálpebras para que nunca fechasse os olhos e lembrasse eternamente a morte dos filhos.


Zeus não podia dar de testa com a mulher e desfazer a trasformação, mas piedosamente, permitiu que Lamia arrancasse seus olhos quando quisesse para descansar.


Como não podia revidar contra Hera, Lamia passou a se vingar na humanidade. Se ela não podia ter filhos, ninguém mais teria. Então passou a sequestrar e devorar as crianças de toda mulher que cruzasse o seu caminho.

Sabe quando seus pais diziam: "Coma tudo direitinho ou o Bicho papão vai te pegar"? Pois é...Na época as mães gregas usavam lamia para assustar as criancinhas.

Essa história parece ter influenciado também a lenda das lamias africanas. Estes são seres meio homens meio animais que atraiam viajantes desavisados com seu canto para devorá-los. Uma mistura de Lamia com sereia.

A história mais conhecida de uma Lamia é a saga de Menipo. Menipo foi um jovem que se encantou por um bela e rica mulher fenícia. O romance deu certo e eles marcaram o casamento. Mas na véspera, Apolonio, mestre de Menipo, descobriu que a mulher era uma Lamia e que tudo foi uma jogada para devorar o garoto. Pressionada, a Lamia contou a verdade. Esse relato pode ser encontrado o "A vida de Apolonio de Tiana" de Filóstato.


A mitologia Basca também conta com suas Lamias. Estas eram seres com aspecto humano feminino, algumas vezes tem pés ou garras de aves, outras assemelham-se com sereias com cauda de peixe. 

Elas vivem nos rios, onde passam a maior parte do tempo penteando seus belos cabelos. Elas são pacíficas e só se enfurecem caso tentem roubar seus pentes de ouro. As Lamias podem eventualmente ter relações com humanos e até ter filhos. Apenas não podem casar, pois não conseguem pisar em solo sagrado.

Na mitologia búlgara as Lamias se assemelham a Hydras. Possuem várias cabeças e se cortadas, nascem outra no lugar. Se alimentam de sangue e tem preferência por mulheres. Em algumas histórias elas tem asas. Em outras soltam fogo pelas ventas. Não tem sexo definido, mas eventualmente são descritas como mulheres.

Também podemos achar algumas referências a Lamia em algumas traduções antigas da bíblia onde chamam Lilith ( Ou Lilitu, em sumério), a primeira mulher de Adão, de Lamia.

Não conhecem essa história?

Pois saibam que nas versões antigas dos textos que originaram o Gênesis, Deus criou um homem e uma mulher de barro e sopro. Ao homem chamou de Adão e a mulher foi chamada de Lilith (ou Lamia). 

Porém Lilith tinha um gênio forte e não se rendia à submissão de Adão. No sexo, ela sempre questionava por que tinha que ficar sempre por baixo. Lilith foi a primeira feminista da história! Se foram criados iguais, ela queria ser igual. Mas ela criou tanto problema que Deus a amaldiçoou e a expulsou do paraíso fazendo uma nova mulher da costela de Adão, chamada Eva. 

DONO DO AVIÃO QUE CAIU NA COLÔMBIA COM A CHAPECOENSE FAZ NEGÓCIOS OBSCUROS

http://portrasmidiamundial.blogspot.com.br/2016/12/dono-do-aviao-que-caiu-na-colombia-com.html


Fonte: http://www.verdadeestampada.com/2016/11/historia-nome-lamia-aviao-chapecoense-mitologia-biblia.html

Share on Google Plus

Sobre: Adrien marinho 2

Adrien Marinho . Sou agnóstico teísta, formado em direito, publicidade. Sei desenhar, tocar guitarra, bateria e tenho TDAH. O motivo do site é o mesmo da pagina, alertar as pessoas com mais detalhes e conteúdo sobre as informações camufladas pela televisão e mídia num modo geral. Explicando com mais detalhes os escândalos envolvendo vacina, remédio, alimentação, Projeto Blue Beam , Iluminati. e tudo que se encontra oculto em nossa sociedade.
    Comentário no Blogger
    Comentário no Facebook

0 comentários: